“Faltaram esclarecimentos”: reclamam vereadores quanto à audiência da Saúde



 

Tamanho da fonte    




A sessão extraordinária que abriu os trabalhos dos vereadores nesta quinta-feira, 24/07, foi destinada à realização de audiência pública para prestação de contas específica da Secretaria M. de Saúde, em conformidade com o que foi solicitado pela Comissão de Orçamento, Finanças e Tomada de Contas da Câmara Municipal, quanto à prestação de contas separadamente. Logo na abertura da reunião, o Presidente da Casa Legislativa, Maurício de Oliveira Júnior, passou a condução das atividades para o Vereador João Gonçalves Linhares (Juninho Linhares), e, este, em seguida, para o colega Jorge Augusto Pereira (Jorge do Ibéria), Presidente da referida comissão, que é composta também pelos Vereadores Francisco Coelho de Oliveira (Chiquinho de Dom Côrrea – Relator) e Hélio Ferreira (Membro).

Após as apresentações relacionadas à prestação de contas, em telão, pelos Consultores Gentil Alves Barbosa Filho e Nilton Oliveira Bonifácio (Amadeus Consultoria), os vereadores fizeram diversos questionamentos sobre a situação da Saúde em Manhuaçu. Entre os pontos levantados, a questão dos gastos com transportes terceirizados, as condições inadequadas de trabalho dos servidores, a previsão de pagamento do Piso aos Agentes Comunitários e de insalubridade, a restauração ou renovação da frota de veículos do setor, etc.

(foto: Assessoria de Comunicação)

O Secretário M. de Saúde, Dr. José Rafael explicou que “assumimos em Janeiro deste ano. A última prestação de contas deveria ter sido feita pelo gestor anterior. Pegamos a Secretaria com algumas dificuldades. Não tínhamos como traçar um paralelo entre o último quadrimestre de 2013 e o primeiro deste ano porque quando se faz a avaliação de um para o outro, é preciso que sejam de quadrimestres semelhantes, por exemplo, o primeiro de 2013 com o primeiro de 2014. Quando assumimos a secretaria, não tínhamos este histórico porque a firma que fazia o serviço de informática, por um problema técnico, ficou um tempo sem fornecer estes levantamentos. O que só foi resolvido de uns quatro meses pra cá. Então, foi por isso que ficou este tempo sem a prestação de contas. Sobre a Saúde, não posso dizer que estamos bem, porque não seria a verdade, mas temos buscado sempre melhorar. Estamos atacando aquelas coisas que, no meu entender, são as mais emergentes como, por exemplo, a questão dos veículos. Quando assumimos a secretaria, só estavam funcionando oito ou nove carros”.

As respostas dadas pelo Secretário Municipal de Saúde e pelos consultores da Prefeitura foram consideradas insatisfatórias, conforme relatou o Presidente da Comissão de Orçamento e Finanças, Jorge do Ibéria. “Houve a prestação de contas geral do 1º Quadrimeste do ano, mas não nos satisfez. Pedimos então que as secretarias prestassem contas separadamente. A Saúde foi a primeira a atender nossa solicitação. Mas, infelizmente, foram dadas explicações que não nos levaram a lugar algum. Nossas perguntas não foram respondidas e eles fizeram distorções. Perguntei o porquê do gasto de mais de R$ 800 mil com o transporte terceirizado da Saúde. Eles quiseram justificar que, com os motoristas atuais, fica muito caro, porque as diárias deles passaram de R$ 28 mil, em quatro meses. Já pensou? O município gastar R$ 28 mil ou R$ 800 mil? Enfim, faremos novos questionamentos, com o auxílio de nossa assessoria contábil e prepararemos novos ofícios de Requerimentos para que tenhamos mais esclarecimentos. Mais uma vez, a comissão não ficou satisfeita com as informações que foram passadas. [...] Esperamos transparência do Executivo. Ao fazer um questionamento ao Secretário, ele citou um site para que a população entre e se informe sobre a situação da Saúde, mas não é isso que queremos. A prestação de contas é justamente para termos um contato direto com o Secretário e os servidores, para sabermos o que está acontecendo. Se for para entrar em site, não precisaríamos nem fazer esta prestação de contas aqui. É muito bonito mostrar prestação de contas no telão, falar de números, mas nós sabemos que a Saúde de Manhuaçu está piorando. Chegamos ao SUS e vemos a situação que está ali, e, muitas vezes, não tem local para colocar paciente. É uma sujeira enorme. Quem frequenta o SUS e o setor de Raio-X sabe do descaso que está havendo com a Saúde, em razão da sujeira. Mas, segundo o Secretário, o município hoje está passando 22% do Orçamento para a Saúde. É um dinheiro considerável, mas está sendo mal administrado, pelo modo que a comissão avaliou esta prestação de contas”, destacou.

Assessoria de Comunicação














}