Agentes de Endemias realizam ação de bloqueio contra mosquito Aedes Aegypti



 

Tamanho da fonte    




A preocupação do Governo de Manhuaçu em relação ao grande número de pessoas que tem contraído dengue, febre chikungunya e o Zica vírus no Brasil, tem levado a secretaria de Saúde, por meio das equipes da Vigilância Ambiental, a realizar diversas ações educativas e de combate ao mosquito Aedes Aegypti, diariamente. Minas Gerias, registrou de janeiro a novembro, 145.371 casos confirmados de dengue e outros 34.936 considerados suspeitos. Em Manhuaçu, no mesmo período foram registrados 244 casos de dengue, onde apenas 29 se confirmaram positivo. A cidade não registrou até o momento casos suspeitos de febre Chikungunya e de Zika vírus.
 
“Mesmo assim os casos notificados como suspeitos são investigados através de busca ativa e encontrando-se focos positivos ou outros suspeitos na área entorno dos locais onde o paciente frequenta, ou o mesmo é oriundo de municípios com transmissão da doença, é desencadeado ações de bloqueio no local, no intuito de se impedir a possível transmissão das doenças causadas pelo Aedes” – explica a coordenadora da Vigilância Ambiental, Emilce Estanislau.
 
O trabalho dos agentes de combate a endemias com as visitas domiciliares, se revelou uma verdadeira caça ao mosquito, que em muitas residências e comércios conta com o trabalho eficiente da população. Em outros, o descuido tem levado as equipes a encontrar criadouros pronto para receber os ovos e ainda muitos focos, por isso, além de os agentes vistoriarem, outra equipe tem feito o bloquei com aplicação de inseticida em sistema de UBV leve com utilização de bombas costais motorizadas, a fim de evitar que o mosquito circule pela cidade.
 
Na manhã da terça-feira, 08 de dezembro, as equipes promoveram ações nos bairros Nossa Senhora Aparecida nas proximidades do bairro São Francisco e também no Todos os Santos. Já na manhã da quarta-feira, 09, as ações continuam, caso não haja chuva, no bairro Nossa Senhora Aparecida. Os agentes vistoriaram casas, terrenos e pontos comerciais em busca de focos do mosquito, por isso é importante que a população seja receptiva e colabore, permitindo o acesso ao interior dos imóveis.
 
Durante o trabalho de bloqueio, alguns cuidados devem ser tomados pela população, como a inseticida tem sua diluição em óleo vegetal e causa impregnação do produto sobre as superfícies, os moradores devem: manter portas e janelas abertas antes e após a aplicação, no mínimo por 2 horas; cobrir as gaiolas dos pássaros; cobrir os alimentos; trocar a água dos animais após aplicação; verduras e frutas do quintal só podem ser consumidas após 2 horas após aplicação, eles devem ser bem lavados; pessoas alérgicas e crianças devem ficar em locais afastado do local de aplicação; cobrir os veículos nas garagens; retirar as roupas do varal; e evitar deixar que as crianças transitem no local de aplicação.
 
SAIBA MAIS:
 
Buscando uma maior eficácia na eliminação dos criadouros do mosquito, os agentes de endemias foram atrás de parceria, e desenvolveram uma peça de teatro com linguagem própria para o público infantil, que vem percorrendo diversas escolas de Manhuaçu. O objetivo, segundo os envolvidos, é de com a linguagem lúdica, as crianças entendam a importância de não facilitar para que o mosquito nasça, e sejam fiscalizadores das ações dos pais em casa.
 
Dengue, chikungunya e zika são três vírus que estão circulando ao mesmo tempo no Brasil, colocando a saúde pública em alerta, por isso todo cuidado é importante. Em Manhuaçu, a secretaria de Comunicação também aderiu ao batalhão que trabalha para combater o mosquito, criou uma campanha virtual que está sendo divulgada nas páginas oficias do Governo com dicas de combate, por meio de medidas simples, que se praticadas pela população pode impedir que a cidade sofra uma epidemia da doença.
 
Já o Governo do Estado, por meio da secretária de Estado da Saúde, adotou a campanha 10 minutos contra a dengue. O conceito foi desenvolvido pelo Instituto Oswaldo Cruz e tem como base o ciclo de vida do Aedes aegypti, do ovo ao mosquito adulto, que leva de 7 a 10 dias. A campanha mostra que promovendo uma vez por semana na limpeza de criadouros, o vetor é impedido de se desenvolver, já que elimina ovos, larvas e pupas do mosquito. 
 
Com base nas tabelas desenvolvidas pela Fiocruz, saiba todas as informações sobre o Aedes aegypti. Se mesmo tomando todas as medidas ainda sentir algum dos sintomas, que podem ser provocados por uma das três doenças, procure a ESF – Estratégia de Saúde da Família mais próxima, pois em Manhuaçu elas são as unidades de referência para diagnostico. 
 
“Em caso de se apresentar os sintomas destas doenças, o paciente deve procurar a unidade de saúde mais próxima de sua casa para receber os cuidados e orientações necessários. É importante lembrar da hidratação vigorosa por ocasião da suspeita de quaisquer das três doenças. Também é primordial que todos juntos combatamos o mosquito Aedes aegypti não deixando água parada em nenhum local e, protegendo os reservatórios de consumo” – finaliza a coordenadora.
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu













}