Alunos no escuro! Vereadores visitam EM Ponte da Aldeia e constatam precariedade



 

Tamanho da fonte    




Lâmpadas queimadas, corrimão enferrujado, infiltração e tomadas desencapadas foram alguns dos problemas detectados durante a visita do Presidente Câmara, Maurício de Oliveira Júnior, e do Vereador Hélio Ferreira à Escola Municipal Ponte da Aldeia, nesta Quinta-feira, 12. A escola, inaugurada em 2000, atende crianças que cursam o pré-escolar, a partir de quatro anos de idade, até o 5º ano do Ensino Fundamental I.
 
De acordo com o Vereador Hélio Ferreira, morador do bairro, constantemente pais de alunos tem procurado-o para manifestar a preocupação com as crianças, expostas ao risco de choque elétrico, por causa das tomadas desprotegidas, e o problema da escuridão na maioria das salas de aula. 
 
Hélio disse que já cobrou, por diversas vezes, providências à Secretaria Munic. de Educação. No entanto, nada foi feito. Na continuidade de seus esforços, Hélio solicitou ao Presidente da Câmara que o acompanhasse nesta visita, que teve o propósito de checar in loco as denúncias feitas pelos pais de alunos.
 
Todas as salas e ambientes internos foram visitados. A pouca iluminação foi constatada também na biblioteca da escola. Maurício Júnior ficou indignado ao perceber que é totalmente inviável o trabalho de leitura naquele ambiente, por causa do escuro. Nas escadarias de acesso ao 2º piso, o corrimão está enferrujado. Em uma tentativa de proteger os alunos, funcionários improvisaram, passando fita adesiva no local em que há o contato com as mãos. As paredes de algumas salas apresentaram também marcas de infiltração de água das chuvas. Nas pias dos banheiros faltam torneiras e um mictório está isolado, sem condições de uso. Há vasos sanitários não instalados e portas danificadas. 
Pias jogadas ao chão (foto: Ass. de Comunicação)
Segundo o Vereador Hélio Ferreira, estes problemas precisam ser resolvidos com urgência, considerando que este pedido já vem sendo feito por ele desde o início do mandato, há quase um ano.  “O risco é muito grande. A escadaria enferrujada pode ferir a mão de uma criança. O telhado tem goteira e molha as carteiras das crianças. [...] O Prefeito precisa realizar melhorias. São serviços simples, mas importantes. As salas têm quatro lâmpadas, mas só uma funciona. Fios desencapados também oferecem perigo. Já enviei dois ou três ofícios para a Secretaria Mun. de Educação. Responderam dizendo que viriam na escola, mas não compareceram. Há quase um ano, pedi uma faixa de pedestre para as crianças atravessarem a rua com segurança, mas não fomos atendidos. O muro do lado da quadra caiu, solicitamos sua reconstrução, mas também não aconteceu. Preocupa-me esta situação, porque esta semana a escola de Vila Formosa foi fechada, porque o forro caiu, embora, há menos de três anos houve reforma naquele local. Graças a Deus nenhuma criança se machucou. [...] A preocupação do vereador é fiscalizar e verificar o que precisa ser feito para que a população seja bem atendida”, desabafou o Vereador Hélio. 
Há vasos sanitários não instalados (foto: Ass. de Comunicação)
Hélio mencionou ainda os esforços para que a quadra da escola tenha cobertura, para que os alunos pratiquem esportes sem o risco de serem prejudicados pelas mudanças climáticas. Outra cobrança do vereador é quanto às placas de trânsito indicando proibição de estacionamento em frente à escola. “Há alguns meses, solicitei ao Secretário de Obras que substituísse as duas placas, pois as mesmas haviam sido atingidas por veículos e estavam danificadas. O Secretário as retirou, mas até hoje elas não foram recolocadas, dificultando o embarque e desembarque diário de alunos. A escola também precisa de uma cobertura junto ao portão principal, para proteger os funcionários que permanecem no local para recepcionar alunos e pais, no começo e término das aulas”, lembrou Hélio.
 
O Presidente Maurício Júnior espera que a Prefeitura tome providências o mais rápido possível. “A Câmara realiza este trabalho de aproximação com a comunidade, e, no caso desta escola, havíamos ouvido por várias vezes as reclamações da falta de infraestrutura básica aqui. Verificamos, por exemplo, a biblioteca, um local destinado à leitura, não dá para ser utilizada. Está escuro, não dá pra ler. A iluminação nas salas é deficiente. O Vereador Hélio vem com diálogo, pedindo e solicitando providências. Algo precisa ser feito. O Prefeito precisa dar uma resposta”, afirmou Maurício Júnior.
 
Recentemente, os vereadores também visitaram a creche que atende a Comunidade de Bom Jesus de Realeza, onde problemas semelhantes foram constatados. “Visitei com a Vereadora Aponísia a creche da comunidade Bom Jesus. Lá, haviam paredes mofadas, com berços encostados. E a saúde das crianças, como fica? [...] As férias escolares estão próximas. É uma oportunidade muito grande para que o prefeito mobilize uma equipe de ação para passar um pente-fino nas escolas e consertar alguma coisa, urgente. [...] Sabemos que há casos em que se demanda uma reforma muito grande, mas enquanto não se faz a grande, faça-se algo paliativo, porque algo precisa ser feito. Não podemos deixar nossas crianças estudarem no escuro”, destacou Maurício.
 
(Ass. de Comunicação)













}