MANHUACU.COM - Amigos e colegas de farda se despedem da soldado PM Aeonã

Amigos e colegas de farda se despedem da soldado PM Aeonã



 

Tamanho da fonte    




Em clima de comoção foi sepultada na manhã desta quinta-feira, 07/06, no cemitério Campo das Flores, o corpo da policial militar Aenoã da Silva Freitas, 25 anos, que foi vítima de um disparo acidental. O incidente aconteceu na madrugada do dia 26 de maio, após mais uma noite de trabalho, juntamente com os colegas do Curso Técnico de Segurança Pública.  Ela e os demais já estavam na fase final do curso de formação, com a formatura marcada para dia 15 de junho.
 
Ao chegar no quartel, dirigiu-se à Intendência com a finalidade de desarmar. Segundo o registro, a vítima entrou juntamente com outro militar que desarmou primeiro. Logo em seguida, a policial dirigiu-se ao local, desmuniciou a arma (Pistola .40). De acordo com o policial responsável pela Intendência, a vítima fez o procedimento, demuniciou o carregador da arma e a entregou. Foi neste momento que um tiro foi disparado. A policial foi atingida na face e socorrida para a Unidade de Pronto Atendimento. Em seguida encaminhada em estado grave para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, mas, na tarde da última terça-feira,05, não resistiu e faleceu.
 
Em nota, o Comandante Geral da PMMG, Cel. Helbert Figueiró de Lourdes lamentou a morte da policial militar: “É com pesar que comunicamos o falecimento da Sd PM 2ª Cl Aenoã da Silva Freitas Marques, lotada no 11ºBPM, ocorrido nesta data. A militar estava internada em estado grave no HPS, desde o dia 26 de maio, com acompanhamento de oficiais médicos do HPM, em decorrência de ferimentos sofridos por disparo de arma de fogo no interior do aquartelamento.
 
Manifestamos as nossas sentidas condolências aos familiares, encontrando-se a Polícia Militar enlutada pela trágica perda, certa de que os sábios caminhos de Deus trarão o conforto a todos que necessitam neste momento”.
 
Durante o velório, as manifestações de pesar não cessavam e por parte dos colegas de farda, o desolamento pela dor era algo que mexia com a sensibilidade de todos.
 
Sepultamento e o último adeus a policial
 
As lágrimas eram difíceis de serem contidas por familiares, amigos e a família militar. Durante o cortejo, as pessoas olhavam para o vazio deixado pela soldado Aenoã da Silva e a saudade, que já se fazia presente em cada membro da corporação. O corpo da policial militar foi enterrado no início da manhã de quinta-feira, 07, no cemitério Campo das Flores. Uma multidão fez parte do cortejo fúnebre, que foi realizado com todas as honras militares.
 
Na chegada ao cemitério, um grupo de policiais realizou uma salva de tiros em homenagem à colega de farda. O toque de corneta também foi realizado no último adeus à soldado Aenoã da Silva Freitas.
 
Eduardo Satil – Tribuna do Leste













}