Audiência pública sobre atraso do Programa Minha Casa Minha Vida será nesta sexta Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




O atraso na construção de moradias pelo programa federal Minha Casa Minha Vida em Manhuaçu leva a Comissão de Participação Popular da Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) a realizar audiência pública no município, nesta sexta-feira ,11/09, às 13h30, no anfiteatro da Câmara de Vereadores, no Bairro Alfasul.

O requerimento da audiência é de autoria da presidente da comissão, deputada Marília Campos (PT), a qual foi procurada pela Associação Habitacional de Manhuaçu e Região. Na correspondência enviada ao gabinete da parlamentar, a presidente da associação, Maria das Graças Florentino Mendes, relata que o Minha Casa Minha Vida abriu inscrições na cidade em 2009. Cerca de 1.500 famílias com renda de até três salários-mínimos foram cadastradas à época e até hoje aguardam a conclusão das obras de suas casas.

A associação revela que em setembro de 2009, a prefeitura de Manhuaçu fez a doação do terreno no local denominado Clube do Sol. A partir daí, foi feita a licitação para a construção de 288 moradias, na qual saiu vencedora a empresa Alfa Imóveis. Para o projeto inicial foram liberados R$ 18 milhões pela Caixa Econômica Federal (CEF).

(foto: Divulgação)

Somente em 2011 a construtora iniciou os trabalhos, desistindo seis meses depois. Como realizou apenas 17% das obras, a empresa recebeu R$ 3 milhões. Desde então, a construção está parada, com canteiro de obras abandonado e mato crescendo entre as estruturas.

Em fevereiro de 2014, conforme relatou Maria Mendes, o prefeito de Manhuaçu, Nailton Heringer, apresentou na Câmara Municipal uma proposta para reinício das obras dentro de 90 dias. Nova doação de terreno foi feita pela prefeitura para a construção de outras 240 unidades. Como nenhuma ação foi tomada para reinício das obras, cidadãos cadastrados no programa fizeram manifestação na cidade no dia 18 de junho deste ano, cobrando uma posição da prefeitura e da CEF.

Para a reunião foram convidados, além da presidenta da associação e do prefeito: o deputado federal Padre João (PT-MG); o Ministério Público; e o superintendente regional da CEF.

Assessoria de Comunicação da Assembleia de Minas Gerais