Bombeiros combatem incêndios florestais na região



 

Tamanho da fonte    




São frequentes as notícias referentes a incêndios em Manhuaçu e região. Além do período de estiagem que é comum nesta época do ano, um dos maiores fatores contribuintes para o agravamento e o aumento, são aqueles referidos como criminosos.
 
Pastagens, matas e terrenos baldios são alvos visados que fazem com que a demanda de registros aumente.
 
Segundo o Comandante do Corpo de Bombeiros de Manhuaçu, o Tenente Flávio Mota, cada período do ano tem tipos de ocorrências que são registradas com mais frequência. Nesta época, os incêndios florestais são os que mais ocorrem. “No período de seca, que é o que estamos vivendo, é o período dos incêndios florestais, principalmente de agosto a setembro. A condição climática favorece muito a propagação destes, mas não a iniciação. Além disso, baixa umidade do ar, vegetação muito seca são fatores que agravam o alastramento do fogo.
 
Incêndios Criminosos
 
De acordo com o tenente, quase cem por cento dos casos registrados são de incêndios provocados. Intencionalmente, com o intuito de ver aquela situação grave ocorrer e também àqueles provocados por produtores rurais e afins, que têm como intuito, fazer a limpeza de terrenos através de queimadas que é uma das formas mais viáveis economicamente.
 
O comandante lembra que tais práticas utilizadas por aqueles citados que colocam fogo com a intenção de limpar certos locais é proibida. Para o procedimento ocorrer, é necessário uma autorização de um órgão competente para uma vigilância, resguarda e demarcação que visa à segurança e preservação.
 
“Também existem situações de crianças que através brincadeiras, acabam colocando fogo em certos locais, o que é muito perigoso por sinal. É a mesma situação dos trotes que acabam gerando transtornos. No Bairro Belo Vista, uma situação parecida ocorreu, onde pessoas colocaram fogo em um terreno próximo a residências. Tivemos testemunhas que presenciaram o fato, e o Corpo de Bombeiros foi acionado para o combate as chamas.”
 
“Outro incêndio com grande repercussão ocorreu na mata da AABB (Associação Atlética do Banco do Brasil), onde o solicitante que nos ligou presenciou indivíduos colocando fogo no lugar. Mais de 90% dos incêndios registrados são provocados. Não temos condições climáticas para que um incêndio se inicie por ação espontânea ou causas naturais, apenas condições para que se propague”, explica o comandante.
 
Área Atendida
 
O Pelotão de Manhuaçu é responsável pelo atendimento de 26 cidades, mas pode-se lembrar que incêndios florestais ocorrem não só nas áreas dessas cidades, mas em todo o estado.
 
“Temos situações graves ocorrendo em toda região e em todo estado, e o principal fator para uma diminuição é a conscientização da população. É importante que as pessoas saibam que estamos vivendo um período crítico, movido pela falta de chuva, e que a prática de queimadas prejudica não só o meio ambiente, mas também a saúde das pessoas, principalmente aquelas que enfrentam problemas respiratórios.”
 
A atividade de combate a incêndios é extremamente desgastante, exige um preparo físico do combatente seja ele militar ou brigadista.
 
“Tivemos um incêndio no Parque do Sagüi, que é uma área de reserva importante. Contamos com dez brigadistas e quatro militares do pelotão realizando o combate as chamas e conseguimos liberar o incêndio que afetava o local.”
 
A prioridade do Corpo de Bombeiros é sempre realizar o combate em áreas de reserva permanente, e de incêndios que estejam ameaçando a segurança das pessoas, sejam em residências ou em propriedades rurais. “Também priorizamos incêndios próximos a estradas e rodovias, devido à fumaça que põe em risco a visibilidade de motorista, e que pode resultar em acidentes”, ressalta o tenente.
 
“Além disso, temos muitas solicitações de demandas reprimidas, que são aquelas registradas, mas não atendidas de imediato, devido ao deslocamento da corporação a outros registros, e por isso é sempre importante a prevenção e cuidado da população.”
 
Diário de Manhuaçu













}