Caminhoneiros fazem protesto contra preço do Diesel



 

Tamanho da fonte    




Caminhoneiros protestaram na manha desta terça-feira, 01/05, na BR-262, em Manhuaçu e Realeza, contra o aumento do diesel, o valor do frete e as condições precárias das estradas. Eles se concentraram na Ponte da Aldeia e saíram de Manhuaçu até o trevo das rodovias BR-262 e 116, no distrito de Realeza, retornando à cidade.
 
De acordo com a organização do movimento, motoristas de caminhões e carretas participaram do ato. Apesar de terem ocupado a rodovia com a mobilização não houve interrupção do trânsito ou atos de vandalismo.
 
Os trabalhadores buscam melhorias para o setor. O aumento do diesel teve que ser absorvido pelos profissionais, porque o preço do frete não acompanha o reajuste. Nesse momento de crise, ficou impossível passar essa diferença para o cliente.
 
Desde o ano passado, com a nova política de preços da Petrobrás, o Diesel está subindo toda semana e o frete não acompanha esses valores. Segundo um dos transportadores, na média uma carreta gasta cinco mil litros de diesel por mês. O litro hoje está na cidade na faixa de R$ 3,60, enquanto ano passado era R$ 2,69.
 
O frete não é reajustado e essa defasagem gera o sucateamento da frota, onde está impossível dar manutenção, pois não sobra para isso.
 
Além disso, protesto reclamou do IPVA caro pago pelos motoristas e que não retorna em investimentos e estradas adequadas. “São muitos buracos, estradas interditadas e sem manutenção. Isso tudo gera prejuízos enormes para o caminhoneiro. Cada pneu custa na faixa de R$ 1.500,00 e uma carreta usa 22 pneus na média. Essas más condições da malha rodoviária prejudicam muito nosso setor. O custo do km rodado hoje está altíssimo e nada é feito para os trabalhadores dos caminhões e carretas”, explicou outro manifestante.
 
Assessoria de Imprensa













}