Carga horária dos servidores públicos permanece a mesma; decisão foi tomada durante reunião



 

Tamanho da fonte    




Após mais de uma hora de reunião entre os servidores públicos, especialmente os do setor da saúde, com o Prefeito de Manhuaçu, Nailton Heringer, e vereadores, na tarde desta quarta-feira, 11, no gabinete do prefeito, ficou definido que a carga horária dos funcionários continua a mesma.

O prefeito iniciou a reunião expondo o lado da administração e os servidores ouviram a explicação e também argumentaram em defesa das seis horas trabalhadas. Após o impasse, Nailton Heringer deu a palavra final de que tudo permanece como está até o término de estudos para elaboração do Plano de Cargos e Salários. O prefeito ainda afirmou que qualquer alteração, os sindicatos serão comunicados antes de colocar em prática.

O representante dos servidores da saúde, Nelson de Abreu, falou sobre a argumentação do prefeito. “Ele falou que não vai mexer na carga horária enquanto ele não conversar com o jurídico dele e depois vai estudar e sentar com a comissão para explicar o que vai acontecer só que depois disso, nós vamos exigir que a comissão participe desse estudo que ele vai fazer, e isso é o que nós queremos, queremos que a comissão participe deste estudo”, contou.

Momento em que o representante dos servidores, Nelson de Abreu, entrega documento ao prefeito comparando o salário de motorista da Prefeitura de Manhuaçu com de outras cidades, informando que é defasado (foto: Geilson Dangelo)

Nelson ainda acrescentou: “Desde quando ele faça os estudos junto com a comissão, representando os funcionários eu acho válido, eu acho que não foi muito ruim não, então desde quando a comissão participe do estudo está valendo, mas agora se a comissão não estudar não tem “validade” ai nós iremos tomar as nossas providências”, relatou.

O advogado e representante do Sintran/UGT, Glauber Carvalho, também comentou sobre a decisão. “O que todos querem é que a carga horária que já vem sendo praticada há mais de 20 anos que é de seis horas continue. O prefeito falou que qualquer mudança de situação, chamaria todos os servidores para conversar”, salientou.

Participaram do encontro, os servidores públicos, sindicatos e vereadores (foto: Geilson Dangelo)

Glauber ainda disse que espera que o prefeito cumpra o que disse. “Acredito que o prefeito vai honrar a sua palavra e não vai fazer nada escondido nem vai chamar ninguém para pedir delegação de cargo, alegando acumulação de cargo. Acho que ele vai ter essa hombridade, que ele teve aqui e atendeu os servidores, mantendo a palavra que ele afirmou. Embora não tenha nenhum documento positivado dele que ele afirme isso que será regulamentando a carga horária dos servidores ele deixou aqui com todos os vereadores e com a imprensa que não tomaria nenhuma atitude antes de consultar qualquer coisa”, pontuou.

O Presidente da Câmara, Maurício Júnior, que representou o Legislativo na negociação, também opinou sobre o fato. “A única resposta objetiva que houve na verdade é que não vai alterar esta carga horária sem uma prévia conversa com os sindicatos e com os servidores”, disse.

Maurício falou sobre a atual situação dos servidores. “Nosso dever funciona respeitando o direito dos servidores que trabalham há mais de 20 anos seis horas por dia. É sempre bom lembrar que essa alteração da carga horária prejudica, pois a gente sabe que infelizmente o município não remunera bem o seu funcionário que é obrigado a procurar outro serviço para complementar sua renda, então essa alteração de carga horária penaliza muito nosso servidor que já anda meio desmotivado, mal remunerado”, argumentou.

A reportagem procurou o Prefeito Nailton Heringer para falar sobre o assunto, mas ele preferiu não se pronunciar.

Geilson Dangelo














}