COMDEC inicia orientação sobre o período chuvoso



 

Tamanho da fonte    




A característica topográfica ajuda a esconder os problemas mais delicados que a população enfrenta: o período chuvoso. A cidade teve um crescimento populacional significativo, sem projeção para impedir construções em lugares íngrimes, sem o acompanhamento de profissionais da área de engenharia. Às vezes, as casas eram erguidas sem um projeto estruturado e bem definido.
 
Sem nenhum cuidado, as pessoas são capazes de ficarem habitando o imóvel construído nas áreas de risco, arranha céus,  próximo a margem ribeirinha, visto que, no passado não houve sequer uma fiscalização rigorosa para impedir as construções desordenadas. Com o surgimento do período da chuva, acaba se transformando em risco iminente.
 
Esses fatores estão levando à Coordenadoria Municipal de Defesa Civil (COMDEC) a iniciar o trabalho de conscientização, busca de parceria, visitas a locais que são rotulados como área de risco, apresentação de resultados dos levantamentos feitos, que apontam vários pontos considerados críticos e, que precisam ser observados  no período chuvoso, a fim de evitar deslizamentos, queda de barranco e a quantidade de terra que pode invadir as residências. 
 
Para amenizar o drama de tantas famílias, a Coordenadoria Municipal de Defesa Civil está com os olhares voltados para que a condição seja favorável às famílias, que, por razão ou outra não respeitam as regras para fazerem uma construção segura, para viver com a família.
 
Trabalho exaustivo e conquistas
 
O trabalho no município é coordenado por Vininha Nacifi, que juntamente com sua equipe tem se desdobrado ao máximo, para levar a mensagem da COMDEC, de que é chegado o momento em que todas as pessoas, órgão governamental e lideranças comecem a camiinhar juntos, na busca de alternativas eficazes para a chegada do período de chuva intensa.
 
Vininha Nacif explica que, as mudanças climáticas ocorridas são fatores preocupantes, pois em anos anteriores, o período de chuva se iniciava em meados de outubro. Ela cita que, recentemente a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil reuniu-se para avaliar e lançar o plano de alerta para todo o Estado. Os representantes da CEDEC e meteorologistas anunciaram que esse ano poderá chover 30% a 40% do que registrado em 2011. Para Vininha Nacif, o momento é para toda a população ficar mais atenta, verificar a condição do imóvel, condição das encostas e risco de deslizamento de barranco. "A COMDEC está estruturando de pouco a pouco. Recentemente recebemos um  veículo equipado, que dará suporte ao nosso trabalho e, agora é aguardada a chegada de um kit básico para a  Defesa Civil. Vamos ganhar pluviômetros  para medir o nível da água e, uma estação hidrológica que será fixada na ponte situada à Rua Joaquim Dutra (Posto Marília),  para que a equipe da COMDEC possa ter noção exata do volume de água", detalha Vininha Nacif.
 
A cidade por estar num vale possui muitos locais considerados como sendo áreas de risco. Ao todo, são dezoito áreas que há a necessidade de olhares atentos, bem como  o  alerta aos  moradores para que não sejam surpreendidos com deslizamentos. Vininha Nacif cita também que, em São Pedro do Avaí, Santo Amaro e  Sacramento, os moradores   estão fazendo casas às margens dos córregos. "Tudo isso ajuda e, muito, para que as inundações aconteçam. Muitas pessoas poderiam ajudar, mas a falta de consciência é bem maior. Mas, todos devem ter em mente, que Manhuaçu tem um alto grau de risco para inundação", diz Vininha Nacif.
 
Eduardo Satil













}