Comissão da Coleta Seletiva define teatros para campanha de conscientização



 

Tamanho da fonte    




Duas peças teatrais de faixas etárias e abordagens diferentes vão participar do projeto “Manhuaçu mais limpa, mais bonita, mais saudável”, que visa a implantação da Coleta Seletiva de Material Reciclável na cidade. As peças teatrais vão atuar na divulgação do início da coleta, que começa a funcionar em breve na cidade, e nos esclarecimentos sobre separação do lixo.
 
O processo de escolha das peças teatrais foi concluído na última semana com as apresentações das concorrentes para um grupo de jurados. As duas peças inscritas para concorrerem no concurso, foram selecionadas para participação na iniciativa. Outros concursos, para definição de mascote e slogan já foram realizados. 
 
As peças que vão ajudar na divulgação da coleta seletiva nas ruas e nos estabelecimentos de ensino e entidades são: “Pascamare e a turma da limpeza”, apresentada pelos alunos da Escola do Futuro e “Dona Baratinha e a coleta seletiva”, dos alunos do Colégio Tiradentes.
 
A implantação da coleta seletiva é uma iniciativa do SAMAL – Serviço Municipal de Limpeza Urbana – autarquia da Prefeitura de Manhuaçu, a ONG Pró Rio Manhuaçu, a ASCAMARE – Associação dos Catadores de Materiais Recicláveis – e ainda a empresa de consultoria Germinar, com o apoio do Centro Mineiro de Resíduos e Recicláveis e acompanhamento da Terceira Promotoria Pública da Comarca.
 
Segundo Maria Aparecida Sales Franco, coordenadora da Germinar, empresa que está fazendo o trabalho de educação e sensibilização da população para início da coleta seletiva, tanto o concurso de teatro quanto os de slogan e mascote foram lançados em maio deste ano, após reuniões na Secretaria Municipal de Educação e Superintendência de Ensino. O trabalho envolveu, no total, 13 escolas, incluindo particulares, municipais e estaduais, localizadas na área que vai receber o projeto piloto de coleta seletiva que inclui os bairros Bom Pastor, Pinheiros, Catuaí, Coqueiro e Centro da Cidade.
 
Peças Teatrais
 
Segundo a professora de Geografia e História da Escola do Futuro, Luciene Saad Salgado, responsável pela equipe do teatro, a ideia da peça “Pascamare e a turma da limpeza” foi destacar não somente a coleta seletiva, mas também a função social da iniciativa. “É a coleta transformando a sociedade, fazendo entender que não é só selecionar o lixo, é gerar emprego também. Então a gente escolheu a pá porque ela representa o trabalho e a partir daí o que que auxilia a pá, que é a vassoura e o pano de limpeza, seriam a turma que combateria a sujeira” - pontuou.
 
Os alunos da Escola do Futuro já trabalham a coleta seletiva em casa, segundo Luciene Saad. “Eles têm que levar para a escola, pelo menos uma vez por mês, o lixo seco que consomem”. Para a professora, a ideia de implantação da coleta seletiva é muito boa. “A gente acabava fazendo um trabalho isolado na escola porque você ensina o aluno, trabalha com ele e faz os projetos, mas quando ele vê na rua que não existe uma conscientização, então acaba não adiantando o trabalho” – comentou “Agora não, a gente faz um trabalho e as formiguinhas todas juntas poderão fazer um trabalho maior. E no final de tudo o que a gente quer é uma transformação social” – completou.
 
A outra peça apresentada foi “Dona Baratinha e a coleta seletiva”, pelos alunos do Colégio Tiradentes. A professora e vice-diretora do período da tarde, Magnéia Garcia Júlio, destacou que o objetivo foi usar a literatura e o mundo infantil de Dona Baratinha. “É um animalzinho que é muito mal visto por todos, e nós resolvemos colocar de maneira diferente, com ele tentando colocar essa coleta seletiva em prática”. 
 
Também no Colégio Tiradentes a experiência de coleta seletiva já é desenvolvida com os alunos. “Nós temos aqui no colégio um projeto chamado “Patrulha do Bem”, com o objetivo de manter as salas e o pátio na hora do recreio bem limpos porque nós temos uma proliferação de pombinhas e isso pode acarretar doenças para nossos alunos” – disse. Para a professora, a implantação da coleta seletiva só vem somar. “Como a própria “Dona Baratinha” falou na peça, ela pode trazer lucros para a cidade com a limpeza e para a associação dos participantes da coleta seletiva que pode fazer um rateio do lucro, o que vai incentivar mais ainda a população”.
 
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
 
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu
 
Envie notícias, fotos e vídeos para o nosso WhatsApp (33) 99906-5656













}