Conselho Municipal de Saúde discute situação dos Ortopedistas do HCL



 

Tamanho da fonte    




Com o objetivo de encontrar uma solução para o impasse e limitação no atendimento nos plantões da Ortopedia/Traumatologia do Hospital Cesar Leite, o Conselho Municipal de Saúde se mobilizou para uma reunião a fim de discutir o problema. A reunião aconteceu na tarde desta quarta-feira, 07/01, e contou com a presença do secretário Municipal de Saúde, José Rafael de Oliveira Filho, além do provedor do Hospital Cesar Leite, Sebastião Onofre de Carvalho, membros da diretoria e conselheiros de saúde. Os ortopedistas foram convidados, mas não compareceram ao encontro para discutirem o problema.
 
A pauta do encontro foi a situação vivenciada quanto ao impasse e a decisão dos médicos ortopedistas, que atendem pelo SUS no Hospital César Leite, que decidiram em não atender nenhum caso de Ortopedia/Traumatologia, por entenderem que a remuneração não traz motivação para atuarem nos casos de alta complexidade. Agora, eles querem a equiparação do valor do plantão com os obstetras, por compreenderem que a função é de extrema importância e, que as horas trabalhadas são as mesmas. 
 
Desde o dia 10 de janeiro, o atendimento passou a ser feito somente em casos de urgência ortopédica, que são as fraturas expostas, luxações, fraturas supracondilianas em crianças, artrites sépticas, síndrome compartimental aguda e fraturas de fêmur em idosos. Os demais pacientes passarão pela avaliação ambulatorial de rotina e serão encaminhados para cadastramento no SUS Fácil. De acordo com o comunicado enviado pela equipe, cada caso será avaliado individualmente para evitar desencontros de informações.
 
Reação do Conselho Municipal de Saúde
 
A decisão dos médicos ortopedistas em atender somente casos de urgência/emergência ocasionou reação do Conselho Municipal de Saúde, que convocou a reunião para saber o que pode ser feito, no sentido de evitar que a situação continue deixando pessoas que estão aguardando procedimento cirúrgico em apuros.
 
De acordo com Sebastião Onofre de Carvalho, durante diálogo, houve, por parte da equipe do HCL, oferecimento de melhor remuneração para igualar o plantão da ortopedia com o plantão da clínica cirúrgica, passando o valor mensal do plantão de R$ 25 mil para R$ 36.600. Os ortopedistas analisaram a proposta feita pela Administração do Hospital Cesar Leite, e informaram que a proposta ficaria muito aquém dos valores solicitados por eles, para manter o plantão nos moldes atuais. "Os ortopedistas reclamam do aumento de pacientes vindos do SUS. Para sanar a situação, tentamos adicionar mais R$ 1.900 no vencimento dos profissionais, porém, não aceitaram. O hospital não tem recurso para atender à reivindicação dos ortopedistas e agora o caso será discutido junto à Curadora da área da saúde do Ministério Público na próxima segunda-feira (12)", explicou o provedor do Hospital.
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
O presidente do Conselho Municipal de Saúde, Nelson de Abreu, também demonstrou preocupação com a situação e juntamente com a Executiva do Conselho e Provedoria do Hospital Cesar Leite estarão discutindo junto à Promotoria de Justiça. Para Nelson de Abreu a situação não pode ficar assim, porque existem pessoas necessitando de cuidados especiais. "Vamos reunir com a Promotora de Justiça e, enquanto representante do Conselho Municipal de Saúde, vou à busca de solução, juntamente com a Executiva e o provedor do HCL para obtermos uma resposta satisfatória", afirma Nelson de Abreu.
 
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu













}