Coordenadora de Vigilância Ambiental fala sobre suspensão da vacinação antirrábica



 

Tamanho da fonte    




Quem possui um animal de estimação terá de buscar outros meios, para imunizá-lo de doenças, principalmente a raiva animal. Recentemente, o Ministério da Saúde recebeu comunicado e repassou para todos os Estados da Federação, informando que a vacinação antirrábica seria suspensa, pois o fornecedor da vacina não teria condição de atender a demanda, para a realização da campanha em várias regiões.

Com isto, todas as secretarias estaduais de saúde foram orientadas que, o estoque existente no Ministério da Saúde será distribuído conforme critério epidemiológico, garantindo prioridade nos estados e municípios com risco iminente de transmissão da raiva canina e felina, estados e municípios de difícil acesso na região amazônica, além da fronteira.

Percebendo toda essa dificuldade e diante deste cenário, a Secretaria de Estado de Saúde suspendeu a realização da campanha antirrábica animal deste ano em todo o Estado. Esta decisão se justifica pela incerteza do cumprimento do prazo determinado para a entrega das vacinas. Também foram recomendadas às secretarias municipais, a intensificação de atividades de vigilância do programa de profilaxia da raiva, realizando notificação de qualquer suspeita de raiva animal ou humana em até 24 horas. Realizar bloqueio de focos, atendendo recomendação da Vigilância Epidemiológica do Ministério da Saúde e, em caso de mordidas por cães, gatos ou outros animais, a pessoa exposta deve ser orientada a lavar o ferimento com água e sabão e procurar imediatamente assistência médica.

De acordo com a coordenadora de Vigilância Ambiental de Manhuaçu, Emilce Estanislau, o setor tomou todas as medidas com relação a suspensão da vacinação antirrábica.Segundo ela, a comunicação "pegou" a todos de surpresa, já que tudo estava sendo devidamente preparado para a campanha.

Emilce Estanislau relembra que, muita gente está indagando se haverá ou não a vacina. "Nossa orientação é que os donos de animais façam a compra da vacina. Por outro lado, vamos entrar em contato com o Ministério Público Estadual (MPE), para que a Vigilância Sanitária possa fazer uma vistoria em todos os locais que comercializam a vacina e, aqueles estabelecimentos que estiverem dentro das normas serão publicados na imprensa local", ressalta Emilce Estanislau.

Outro detalhe lembrado pela coordenadora da Vigilância Ambiental é com relação aos donos de animais, que não assumem a posse/responsável do animal. Ela destaca que, a todo o momento torna-se interessante que o animal seja bem cuidado, a fim de garantir a segurança das pessoas e do animal quanto às reações que podem torná-lo agressivo. Assumir a posse e ser responsável pelo animal, trará benefício para a saúde e a todos, que ficam próximo dele.

Cuidados especiais

Devido a suspensão da vacinação antirrábica no Estado e no município de Manhuaçu, todas as pessoas podem e devem ficar atentas e, no caso de algum caso, as medidas  devem ser tomadas tais como:

*notificar e investigar casos de atendimento antirrábico humano, monitorar o tratamento adequado e oportuno

*intensificar a capacitação de profissionais de saúde sobre a indicação dos esquemas de profilaxia

* executar o monitoramento de circulação viral, com envio de amostras para diagnóstico laboratorial da raiva

* intensificar as ações de recolhimento de animais, especialmente nas áreas que registram casos de raiva canina

* intensificar as ações de educação em saúde, visando reduzir as mordidas por animais. Em caso de dúvidas, para mais informações ou solicitações de recolhimento de animais infectados pela raiva, basta ligar para o setor de Vigilância Ambiental ( Coloque por favor o número).

Secretaria de Comunicação Social