CREAS esclarece em palestras atuação no caso de direitos violados



 

Tamanho da fonte    




Detalhar a área de atuação, competência e abrangência das ações e trabalhos do Centro de Referência Especializado da Assistência Social – CREAS de Manhuaçu. Esse é o objetivo do diretor do CREAS, Wagner Alves Caldeira, ao participar de palestras junto a entidades e setores que, como o centro, atuam na garantia de direitos.
 
Uma das palestras, realizada mês passado, foi no auditório do 11º Batalhão, para os policiais militares. No encontro, Wagner Caldeira lembrou questões ligadas a ocorrências com vítimas. “Na maioria das vezes as vítimas são deixadas de lado, com mais atenção para a parte punitiva em relação ao autor daquele crime” – lembrou. O diretor do CREAS destacou a importância dos policiais militares orientarem as vítimas que sofreram alguma violência ou violação de direitos a procurarem o órgão responsável pela demanda.
 
A Polícia Militar e o CREAS possuem parcerias em várias ações e no encaminhamento de casos de direitos violados. “Nós deixamos esclarecida a atribuição total do CREAS, que vai desde uma criança recém-nascida até um idoso” – pontuou. “A gama de direitos violados do ser humano acaba por desencadear no CREAS, então nós somos o órgão responsável por estar, quando solicitado ou provocado, atendendo todo e qualquer tipo de direito violado ou ameaçado” – completou Wagner.
 
Abuso contra idosos
 
O problema relacionado aos idosos foi outro tema abordado na palestra. De acordo com Wagner Caldeira, hoje em Manhuaçu ocorre um crescente número de crimes contra os idosos que são negligenciados e até extorquidos com apropriação, por familiares, do benefício previdenciário e empréstimos consignados que comprometem a renda. “Um fato desta natureza gera um crime de extorsão ou apropriação indébita e que tem que ser investigado e levado para as autoridades competentes julgarem” – pontuou o diretor do CREAS pedindo a comunidade para denunciar casos do tipo.
 
Outro tema abordado na palestra com a Polícia Militar foi relacionado aos moradores em situação de rua. Wagner Caldeira destacou que caso o morador em situação de rua cometa algum crime, a pessoa a ser acionada é a Polícia Militar. “Agora, desde que não esteja cometendo nenhum tipo de crime, caberá às autoridades direcionar para a assistência social, para que possamos averiguar a situação e fazer os devidos encaminhamentos” - destacou.
 
O grande número de moradores em situação de rua em Manhuaçu, segundo o CREAS, ocorre em virtude do plantão da Delegacia de Polícia Civil a partir das 18 horas diariamente, e nos finais de semana. “Toda ocorrência a partir das 18 horas na área sob jurisdição da Regional acaba desaguando aqui. A polícia traz a pessoa que, depois fica por aqui esperando meios para retornar para sua cidade” – disse. “Nós orientamos os policiais que encaminhem essas pessoas para a assistência social” – completou Wagner Caldeira.
 
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu













}