Defesa Civil mantém atenção em decorrência do período chuvoso



 

Tamanho da fonte    




A Defesa Civil de Manhuaçu faz um alerta à população com a chegada do período chuvoso. A instituição tem trabalhado em parceria direta com o Corpo de Bombeiros, Polícia Militar para que sejam supridas todas as necessidades, com equipes sempre de plantão. A maioria dos bairros está localizada em morros, com muitas residências em situação de risco e diante dessa situação, a entidade liga o sinal de alerta e prepara ações emergenciais. O rio Manhuaçu também está sendo monitorado, tendo em vista a facilidade com que as águas do seu leito avançam sobre as ruas da cidade à medida que a chuva cai.
Ela destaca que as principais ações tomadas em curso pela Defesa Civil no momento, são: o mapeamento das áreas de risco do município; visitas aos locais com peritos credenciados para a feitura de laudos e outros pareceres a respeito das áreas afetadas; constituição de sistema de monitoramento das áreas desprotegidas; elaboração de planos de contingência para enfrentamento de possíveis desastres; e política de orientação às pessoas envolvidas no tocante ás providências preliminares a serem seguidas para evitar inerentes danos humanos e prejuízos materiais ou econômicos.
 
Margens do rio e encostas
 
Vininha Nacif explica que o início do período de chuvas aumenta os riscos de inundação, desabamentos de casas e deslizamentos de terra. “Existem sinais claros para identificar e evitar as grandes tragédias. Postes, cercas e árvores que começam a inclinar mostram que o terreno está se movendo. Trincas nas paredes ou no chão e degraus, junto aos barrancos, são outro sinal de alerta”.
 
Para se prevenir das chuvas morando nas áreas de risco, a coordenadora da Defesa Civil destaca que a população deve evitar jogar lixo nas encostas, córregos e bocas-de-lobo. Construir calhas nos telhados, conservando-os limpos. Construir canaletas no chão para direcionar a água. Manter limpos os ralos, esgotos, galerias, valas, etc. Aterrar buracos que acumulam água, reforçar muros e paredes poucos confiáveis. Providenciar a poda ou corte de árvores com risco de queda. Não construir moradias às margens de cursos d’água. Construir a casa sempre em nível mais elevado que o curso d’água mais próximo. Observar se as árvores estão ficando inclinadas, se há trincas novas nas paredes das casas ou no chão e se há movimentação do terreno.
 
Chuvas 
 
No dia 21/11, uma forte chuva caiu sob Manhuaçu. A situação deixou algumas ruas da cidade alagadas, interrompeu o fluxo de trânsito em Manhuaçu – o deixando mais lento do que o normal, e causou transtornos a pessoas que moram perto de barrancos, que ficam no caminho das águas que descem com a enxurrada.
 
De acordo com Vininha Nacif, compete ao órgão a garantia do direito à vida, em circunstâncias de desastre. Em seu trabalho, a Defesa Civil busca reduzir a ocorrência e a intensidade de desastres, já que eliminá-los é um objetivo inatingível. “Qualquer chuva forte gera um tipo de ocorrência e tem ficado muito comum algumas áreas sofrerem com alagamento e enxurradas”
 
Sobre a questão envolvendo a quantidade de água que descem pelos barrancos e encostas da região, Vininha Nacif indica que a solução pode vir da própria população através da criação de canaletas ou caminhos que desviem a grande quantidade de águas provenientes das chuvas. Ela afirma que essa iniciativa ajuda o trabalho do órgão. “Obviamente o poder público tem as suas responsabilidades, mas ele não alcança todo mundo e a gente tem que trabalhar com a realidade”, enfatiza.
 
Atuação para evitar desastres
 
Cidadãos que precisam utilizar os serviços da Defesa Civil podem entrar em contato com o órgão por meio do número 3339-2740 ou 3339-2741. Em caso de emergência, a população deve procurar o Corpo de Bombeiros através do telefone 193 ou a Polícia Militar pelo número 190.
 
Tribuna do Leste













}