Diretor do Samal conhece novo modelo de gestão do lixo



 

Tamanho da fonte    




O diretor do Serviço Autônomo Municipal de Limpeza Urbana (SAMAL), Kilder Perígolo, e o assessor da Secretaria de Planejamento, Eliéser Ribeiro, durante esta semana visitaram a cidade de Itaúna, que fica na região Centro-Oeste do Estado de Minas Gerais, para conhecer de perto a gestão municipal de resíduos sólidos, considerada referência em toda a América Latina.
 
Eliéser também é um dos responsáveis pela elaboração do Plano Municipal de Saneamento Básico de Manhuaçu. Ele conta que recebeu o convite do diretor do SAMAL para que, juntos, pudessem conhecer o importante trabalho desenvolvido pela Cooperativa de Reciclagem e Trabalho (COOPERT). 
 
Chegando em Itaúna, a comitiva de Manhuaçu foi recebida pelo gestor de resíduos sólidos da Prefeitura de Itaúna, Sérgio Cunha. Na sede da Cooperativa, Kilder e Eliéser conheceram o aterro sanitário, o sistema de triagem, separação e compactação do lixo. Além disso, foram à sede do Poder Executivo e à Secretaria de Meio Ambiente. 
 
“Conhecemos um novo modelo de gestão e tratamento dos resíduos sólidos gerados em um município. Eles começam desde a separação do lixo seco e molhado, passa pela coleta seletiva em dias e horários pré-determinados pela Prefeitura e chega, finalmente, ao devido tratamento do resíduo. O que é seco, a Cooperativa reaproveita. O que é molhado é aterrado conforme a lei prevê”, explicou Eliéser.
 
Desta forma, a Prefeitura de Itaúna, através da COOPERT, consegue reciclar aproximadamente 30% de todo o lixo produzido na cidade. E o retorno é visível. As ruas são mais limpas, principalmente por causa da consciência socioambiental gerada no cidadão. Além disso, a venda do material reciclado gera recursos financeiros para a entidade e bons salários para os trabalhadores.
 
Pensando em implantar este novo modelo de gestão dos resíduos sólidos no município, o diretor do SAMAL, Kilder Perígolo, pesquisou qual cidade poderia se encaixar com os padrões daqui e encontrou em Itaúna o exemplo ideal. Num futuro próximo, percebendo que é viável e respeitando as diferenças sociais, ambientais e culturais, o sistema também deverá ser implantado em Manhuaçu. Os gestores municipais de Itaúna se colocaram à disposição de Manhuaçu para que isso se tornasse realidade por aqui.
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
“Para podermos implantar uma nova gestão de resíduos sólidos em Manhuaçu vamos precisar mais do que nunca da colaboração e da conscientização de toda população de Manhuaçu. É importante ter o cidadão do nosso lado. O povo precisa exercer cidadania de verdade, tanto ao separar o lixo, seco e molhado, por exemplo, quanto na destinação final para que a Prefeitura possa passar e recolher. De mãos dadas, Poder Público e população podem transformar a realidade de nossa cidade, que só tem a ganhar com isso. Espero contar com todos na mobilização conjunta que estamos programando”, concluiu Kilder.
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu