Doutorada da UERJ faz estudo com recuperandos da APAC Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




A Doutorada da UERJ (Universidade Federal do Rio de Janeiro) do programa de Pós Graduação de Ciências Sociais, a colombiana Astrid Johana Pardo Gonzalez, está há três semanas na APAC (Associação de Proteção e Assistência aos Condenados) de Manhuaçu a fim de tentar entender e analisar os processos sociais dessa metodologia como parte do trabalho de doutorado que irá concluir em alguns anos.

Ela está fazendo uma análise de gramática emocionais na construção da APAC, na parte da metodologia etnográfica. Para isto, Astrid faz entrevistas, observações e convive com o grupo que você vai estudar, e tentar entender as regras sociais.

"Nosso estudo não propõem soluções, apenas indaga, questiona, analisa, entende. Eu acho que só o fato de tentar entender o processo social poder ser uma forma da APAC de pensar a sociedade em geral. A APAC é uma instituição revolucionária, não tenho dúvida nenhuma nisso e eu vou tentar pensar sobre a moral", contou.

A colombiana também agradeceu a recepção da direção da APAC, dos funcionários e dos recuperandos. "Eu não consigo expressar as palavras de agradecimento que eu tenho com eles, os funcionários, os voluntários, e todos os recuperandos. Eles são um incentivo para poder levar mais para frente o meu estudo e também até para minha própria vida. Está sendo uma experiência maravilhosa, eu só tenho que agradecer", concluiu.

(foto: Geilson Dangelo)

Geilson Dangelo














}