Em Manhuaçu, Centros Tecnológicos proporcionam acesso à informação



 

Tamanho da fonte    




Já estão em pleno funcionamento em Manhuaçu quatro Centros Tecnológicos. São salas equipadas com computadores onde estudantes e comunidade usufruem de aulas de informática, além de internet para pesquisas, email etc. Tomaram posse, no último Concurso Público realizado pelo Governo de Manhuaçu, dois técnicos, que são instrutores nos espaços, e já no princípio de 2016, outros dois Centros passam a funcionar após a posse de mais um técnico.

O foco dos Centros Tecnológicos está na inclusão digital, isto é, proporcionar a todos os cidadãos, principalmente dos de menor renda, o acesso à informação, pesquisas, emails, enfim, a oportunidade de facilidade de vida com o uso das tecnologias. "Nossa expectativa é a de que, por meio dos técnicos que estão ali, a população tenha acesso, sem discriminação, à informatização, tão necessária nesse tempo" - diz a secretária de Educação, Gelvânia Câmara.

Em Manhuaçu, os quatro centros em funcionamento são: na Escola Municipal de Vilanova; no CAF São Pedro do Havaí; na Escola Municipal Maria Petrina, no Bairro Petrina; e no CAF bairro São Francisco de Assis. Dois técnicos realizam turnos diferenciados para atender esses locais, conforme explicou a secretária de Educação. Os outros dois que aguardam a posse dos técnicos concursados, o que já deve acontecer nos próximos dias, são: na 2ª Igreja Presbiteriana, Bairro Bom Pastor; e na comunidade de Bom Jesus de Realeza. A reportagem foi conhecer os Centros que funcionam nas escolas municipais de Vilanova e do bairro Petrina.

Na rede e em sala de aula

Em Vilanova, as crianças da escola municipal, já usufruem da sala de informática, que conta com equipamentos novos e modernos. Segundo o técnico e instrutor Renato Moreira, os usuários têm curso de informática completo. "O trabalho de aprendizado vai do básico ao avançado, e também trabalhamos com eles montagem e manutenção. Nossos alunos vão sair daqui, literalmente técnicos em informática, inclusive com diploma" - diz Moreira, que relata os desafios da sua rotina.

"O computador está presente na nossa vida em tudo, só que a maior parte da população não tem conhecimento disso, não sabe mexer e muitas vezes nem se interessam" - comenta o instrutor ao dizer que, em Vilanova, a realidade não é diferente. "Do público que eu atendo, digamos que, de cem, dez têm computador em casa, outros noventa só têm acesso aqui. Eles estão conseguindo assimilar bem o conteúdo, só que não têm como praticar em casa" - lamenta Renato Moreira, que vê dificuldades ao se falar em avanços na inclusão digital no Brasil. "Com as taxas e os juros altos que temos, colocar um computador popular bom em casa ainda é difícil. Mas ao menos aqui em Manhuaçu, temos visto resultado no aprendizado. É um primeiro passo, o importante é mirar no alto e não parar de subir" - pondera.

(foto: Assessoria de Comunicação)

Outro objetivo importante do Centro Tecnológico, quem relatou foi o instrutor do Bairro Petrina, George Raposo. "Procuramos desenvolver trabalhos que complementem o ensino em sala de aula, que façam com que eles se interessem por Matemática, Português, enfim, coisas que agucem a curiosidade deles" - diz Raposo. "Além disso trabalhamos coordenação motora e, de um modo geral, ajudamos eles a gostarem de computador, para que usem como uma ferramenta muito útil na vida deles, porque é essencial na nossa vida" - continua o instrutor ao avaliar positivamente o trabalho, que apesar do pouco tempo, já produz resultados. "Tem só um mês que estou aqui, ainda estamos introduzindo os conteúdos mas, temos bons computadores, temos uma equipe capacitada, e Manhuaçu tem feito um trabalho muito bacana. Creio que temos progredido e, em pouco tempo crianças e adultos vão estar bem inteirados dessa área" - relata otimista o técnico.

O brilho nos olhos e a empolgação das crianças ao irem para a sala de informática são impagáveis. A pequena Emanuele Souza, estudante do 5º ano, relata deslumbrada: "Eu vou ganhar um computador esse ano e o tio George já está me ensinando o que eu posso mexer, o que eu não posso, então é muito legal. Gosto muito de vir para a sala de informática" - conta. Fez coro a ela o colega de turma, João Paulo Silva. "Gosto muito de brincar no computador, o tio George ensina muitas coisas legais para a gente" - alegra-se.

Os computadores são adquiridos por meio de um convênio com o Governo do Estado. Os centros que funcionam em escolas, são preferencialmente para uso dos alunos. Os centros que funcionam em CAFs ou igrejas, são de uso aberto à todo cidadão interessado. No CAF São Pedro, o centro funciona às terças, quartas e quintas. No CAF São Francisco, às terças e quartas.

Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu