Entulhos lançados de forma incorreta em Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




Falta de educação e senso de civilidade. Estes dois conceitos básicos para o bom convívio em sociedade estão faltando a muitas pessoas de Manhuaçu. Um dos problemas que mais evidenciam esses comportamentos tem sido o tratamento que parte da população dá ao lixo.

Os flagrantes são vistos facilmente por todos os cantos do município, diariamente. Três situações mais comuns são: o lançamento de pilhas de entulhos pelas margens das rodovias e estradas vicinais, nas proximidades da região urbana da cidade; o uso do Rio de Manhuaçu como lixeira; e, a colocação de lixo nas ruas, principalmente na região central da cidade, após a passagem da equipe e do caminhão coletor.

Entulho

Nos arredores de Manhuaçu, nas margens das principais estradas de acesso, cada vez mais vem aumentando a quantidade de entulho lançado de forma irregular. Ao iniciar uma construção, as pessoas não levam em conta o cuidado com a destinação correta dos dejetos gerados pelo empreendimento. Isso tem trazido um grande transtorno para as pessoas que moram ou circulam próximas a essas localidades. Esta ação provoca outros problemas sérios que são os impactos ambientais, trazendo danos à natureza e ao aspecto visual dos lugares onde ocorre esta prática.
As pessoas não podem se queixar da falta de um depósito adequado para o lançamento dos entulhos gerados principalmente pelas obras realizadas na cidade.

A cerca de cinco quilômetros de Manhuaçu, às margens da BR 262, no sentido à Reduto, há anos, está instalado um depósito de entulhos, devidamente regularizado e que atende a todas as exigências legais. O custo de cada caçamba de entulho, que comporta até sete toneladas, é de apenas sessenta reais. É necessário que as pessoa incluam no custo de suas construções mais este item. Muitos já o fazem, mas outros insistem em ignorar este procedimento.

Mudança de hábito

Como nos relacionamos com o Rio Manhuaçu é outro grave problema. Muitos moradores despejam, diariamente, todo tipo de lixo nas águas do rio que dá nome a nossa cidade. Além do lixo domestico, é comum encontrar no curso d’água móveis, eletrodomésticos e carcaças de muitos objetos.

Veículos, frequentemente, são flagrados despejando entulhos às margens da BR 262 (foto: Senisi Rocha)Em recente entrevista concedida à órgãos da imprensa, o diretor do SAMAL (Serviço Autônomo Municipal de Limpeza Urbana), Wellen Mendonça, alertou sobre as dificuldades que tem enfrentado com a limpeza na cidade, principalmente na região central. “Muitos moradores e responsáveis por lojas desrespeitam o horário da passagem do caminhão e da equipe de limpeza. No centro da cidade a coleta é feita duas vezes por dia e mesmo assim muitos colocam as embalagens e outros tipos de lixos das lojas depois da passagem da equipe. Nós solicitamos que as pessoas colaborem com o nosso trabalho e Manhuaçu se tornará uma cidade mais limpa”, enfatizou o diretor.

A relação das comunidades com o meio em que estão inseridas mudou muito nos últimos tempos. A preocupação com a recuperação e a preservação dos recursos naturais, essenciais para a sobrevivência humana, é fundamental para garantir a qualidade de vida da atual e das próximas gerações. Além da responsabilidade social e cristão para com sigo e o próximo, os cuidados com os recursos naturais passam também por questões legais.

Estas ações, que parecem estarem incorporadas às rotinas de muitos manhuaçuenses, não contribuem em nada para a imagem da cidade.

Senisi Rocha














}