Escritor nordestino lança livro em Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




O médico aposentado e artista plástico Belmir Lopes escolheu a cidade de Manhuaçu para lançar seu quarto livro entitulado "Vencendo com Honra", que conta a aventura de um nordestino que, cansado de viver uma vida difícil, decide romper fronteira e tentar a sorte na cidade de São Paulo. O lançamento do livro aconteceu no último sábado (27) no salão da Câmara Municipal, a convite da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais (ACLA-MG), que tem dado a oportunidade a vários escritores e poetas estarem lançando suas obras. A solenidade de lançamento contou com a presença de convidados, acadêmicos e familiares do escritor.
 
Sob a coordenação do presidente da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais, comendador Fabrício Santos, a solenidade foi marcada por homenagens às pessoas e entidades que, ao longo dos quatro anos de existência da ACLA, têm demonstrado que são verdadeiros parcerios para o engrandecimento da cultura local. Na ocasião, a diretoria da ACLA-MG prestou uma homenagem singular à poetisa e escritora, Vera Maria Costa, falecida no mês de maio.
 
O escritor Belmir Lopes conta que a história é inspirada na vida de um nordestino, que cansado de viver uma vida de miséria, inóspita resolve deixar seu "torrão" querido, levando a lembrança e a vontade de voltar. Mas, parte para a cidade de São Paulo, em busca de realizar o sonho e de uma vida melhor.
 
Destemido, o jovem enfrenta dificuldades e, por fim se torna morador de rua. Não consegue se realizar, vai para outro Estado a convite de um companheiro e se torna um trabalhador escravo. Depois de apuros, ele tenta regressar, passa por uma pequena cidade onde encontra um estranho que o acolhe como amigo e,la ele faz amizade e até encontra um amor não correspondido. Por pensar diferente, o jovem sonhador cria algumas inimizades e sai de Minas Gerais, rompe todas as barreiras e chega ao final, onde tem uma grande surpresa ao reencontrar o grande amor de sua vida. "Essa é parte da história, mostrando que quando uma pessoa quer vencer é possível. Vencer sem entrar pelo mau caminho, sem se entregar às drogas, corrupções e até mesmo no cometimento de delitos", ressalta o escritor Belmir Lopes.
 
Segundo ele, a inspiração fluiu de forma singular, visto que já morou em Araçuaí e, por ser artista plástico tornou-se mais fácil unir ficção, realidade e o sentimento vivido por um nordestino. "Os cenários nordestino e mineiro contribuíram muito para que a história  ganhasse uma dimensão diferente e bem real. O personagem está envolvido nessas regiões, mostrando bem o que se passa em cada lugar", detalha.
Diretoria da ACLA e o escritor Belmir Lopes (foto: Eduardo Satil)
O escritor Belmir Lopes também ressalta sua preocupação em estar realizando todo o trabalho de maneira bastante objetiva e com clareza, para facilitar a leitura. Segundo o escritor, hoje a literatura é algo bem esquecido, principalmente pelos jovens, que não possuem o hábito de ler, escrever devido a modernidade atual, que faz a  maior parte dos jovens usarem uma linguagem modificada.
 
Para o presidente da Academia de Ciências, Letras e Artes de Minas Gerais (ACLA-MG), o momento foi singular para o enriquecimento do trabalho da entidade, bem como para a cultura local. "Ao completar quatro anos de existência, a gente está buscando descobrir novos escritores, poetas para que possam estar fortalecendo o trabalho e contribuindo para o fortalecimento da cultura regional", conclui o comendador Fabrício Santos.
 
Eduardo Satil













}