Fã de Manhuaçu viaja 23h para acompanhar missa em memória de Cristiano Araújo



 

Tamanho da fonte    




Apaixonada pelo cantor Cristiano Araújo, a vendedora de Manhuaçu, Daiane Garcia, 26 anos, não mede esforços para manter viva a memória do artista, que morreu há dois em um acidente de carro. Tanto que a fã viajou por 23 horas de ônibus exclusivamente para acompanhar a missa em homenagem ao sertanejo, realizada na noite de quinta-feira, 22/06, em Goiânia.
 
A jovem mora em Manhuaçu, distante 1.165 km da capital goiana. Ela conta que por pouco não perdeu a celebração, mas comemorou ter chegado a tempo de fazer suas orações pelo ídolo.
 
"Viajei 23 horas. Cheguei 40 minutos antes de começar a missa. Foi uma correria muito grande. Não ia dar para eu vir, mas eu fiz muita força e consegui, assim como na missa de um ano. Sou muito fã do Cristiano. Quem me conhece sabe que eu o acompanhei desde o início da carreira dele. Faço questão de sempre estar presente", afirmou.
 
A vendedora vestia uma camiseta com a foto de Cristiano e os dizeres "o que temos para hoje é saudade", um dos versos da música "Cê que sabe". Assim como milhares de pessoas, Daiane considera o dia 24 de junho, quando Cristiano morreu junto com a namorada, Allana Morais, uma data que causa "aperto no coração".
 
"É muito triste não só para mim, como para todos os fãs, familiares, amigos. Vai chegando dia 24 dá aquele aperto no coração. É a mesma sensação e a mesma dor. Ele está eternizado", lamenta.
 
Missa
 
A missa foi celebrada na Paróquia Nossa Senhora Assunção, onde Cristiano costumava frequentar. Dentro da igreja, foram instalados dois telões que mostravam imagens do cantor junto com Allana. Além disso, alguns lugares foram reservados para parentes e amigos do cantor.
 
Várias pessoas compareceram à cerimônia usando camisetas estampando a foto do artista. Entre os presentes estavam o pai dele, João Reis, o irmão Felipe Araújo, a irmã gêmea dele, Ana Cristina Melo Araújo, os pais da Allana, Miriam Coelho Pinto Moraes e Frank Moraes e o ex-produtor do sertanejo Rafael Vanucci.
 
Assim como fez há dois anos, Felipe Araújo subiu ao altar e cantou uma música em homenagem ao irmão. Emocionado, ele soltou a voz com "Ressucita-me", da cantora gospel Aline Barros.
 
Acidente
 
O motorista perdeu o controle do veículo que levava o sertanejo e a namorada para Goiânia por volta das 3h10 daquela madrugada, 21 minutos após fazer uma parada em um posto de combustíveis. O carro saiu da pista e capotou.
 
O casal viajava no banco traseiro. Allana, na época com 19 anos, morreu no local. Já o cantor, de 29, foi socorrido e levado para o Hospital Municipal de Morrinhos. Depois, o transferiram em uma Unidade de Terapia Intensiva (UTI) Móvel até Goiânia. Assim que chegou à capital, ele foi levado em um helicóptero ao Hospital de Urgências de Goiânia (Hugo). Apesar dos esforços para socorrê-lo, Cristiano não resistiu aos ferimentos.
 
Dados recolhidos da “caixa preta” do veículo mostram que o carro estava a 179km/h cinco segundos antes do acidente. Além disso, o casal não usava cinto de segurança.
 
O delegado responsável por investigar o acidente, Fabiano Henrique Jacomelis, concluiu que o motorista foi negligente e imprudente, mas não cometeu o ato intencionalmente. Por isso, a Polícia Civil indiciou Ronaldo por duplo homicídio culposo, quando não há intenção de matar.
 
O Ministério Público Estadual (MP-GO) fez a denúncia do crime, que foi acatada pelo juiz Diego Custódio Borges, da Comarca de Morrinhos, em setembro de 2015. O processo ainda tramita no Poder Judiciário.
 
G1/Góias