Homem é morto em Lajinha; acusado é um ex-policial militar



 

Tamanho da fonte    




A Polícia Militar continua tentando localizar Edgar de Carvalho, acusado de ter matado Álvaro Miranda Filho (Juninho da Calotinha), 45 anos, em Lajinha, no final da tarde de sábado, 23/09.
 
Segundo o Capitão Machado, comandante da 29ª Companhia da Polícia Militar, testemunhas contaram que Edgar e sua companheira arrendaram o bar no clube Campestre, em Lajinha. Eles estavam servindo os clientes nesta tarde.
 
De acordo com o que testemunhas relataram à PM, Juninho chegou num Fiat Siena. Ele foi casado com a atual companheira de Edgar durante sete anos e tem dois filhos.
 
O relato das testemunhas é de que Juninho saiu do carro armado e, imediatamente, atirou em direção à ex-esposa e também de Edgar. Havia vários clientes no local no momento.
 
Edgar teria ido até o quarto, nos fundos do bar, pegou uma arma e revidou os disparos. Juninho foi atingido nas costas, peito, pescoço e braço. Ele foi socorrido para o pronto atendimento de Lajinha e depois transferido para Manhuaçu, mas morreu no trajeto.
 
Edgar fugiu numa picape Nissan e não foi localizado ainda. A arma de Juninho foi apreendida com cinco cartuchos deflagrados.
 
A perícia da Polícia Civil esteve no local e recolheu os estojos da munição 380 utilizada pelo ex-pm.
 
Segundo registros da PM, por várias vezes foram atendidas ocorrências motivadas por ações envolvendo Juninho como autor e Edgar e a mulher como vítimas. O casal já havia sido orientado a se afastar de Lajinha, mas não acabou as orientações.
 
Tribuna do Leste













}