Homem é morto em ocorrência de trânsito em Matipó



 

Tamanho da fonte    




Uma ocorrência de direção perigosa em Matipó teve um desfecho trágico na noite deste sábado, 24/02. O pai do jovem motorista teria investido com uma faca contra a esposa e os policiais. Um dos militares atirou e o homem morreu. A história começou na avenida Salvador Sabino, no Centro, por volta de 23h00.
 
O motorista de um Corsa saiu fazendo manobras perigosas na via, que estava cheia de pedestres e veículos. Num primeiro momento, o condutor parou, mas em seguida acelerou o carro, bateu na viatura para e fugiu.
 
Os militares começaram a perseguição. Ele só foi alcançado quando tentava chegar ao bairro Boa Vista. Encurralado, desceu a rua de ré, abandonou o Corsa e tentou correr, mas foi alcançado e preso.
 
Após essa confusão, o jovem de 19 anos contou que tentou escapar porque não é habilitado.
 
Uma viatura da Polícia Militar Rodoviária, que estava em Matipó, foi ao local em apoio. Enquanto o guincho fazia a remoção do veículo, chegaram o pai de 58 anos e a mãe de 59 anos.
 
O Comandante da 272ª Companhia de Polícia Militar, Capitão Túlio, conta que, os militares “fizeram a prisão do rapaz por direção perigosa. No momento em que já estava na viatura, o pai e a mãe dele compareceram ao local. (…) O pai estava bastante transtornado. Gesticulando muito e falando que o filho não seria infrator, tentando retirar o filho da viatura. Os militares conversaram o tempo todo com esse senhor, tentando acalmá-lo. A esposa tentou retirar a faca da cintura dele. Nesse momento, ele agrediu a mulher e tentou golpeá-la com a faca. Os militares tentaram intervir. Primeiro o policial tentou desarmá-lo com a tonfa (bastão), quando ele levantou a faca para tentar golpear o militar, foi feito um disparo que atingiu a bacia. O senhor foi socorrido, mas faleceu”.
 
Foram adotadas as providências com relação ao militar que atirou e ao jovem da direção perigosa. Testemunhas estão sendo ouvidas pela PM.
 
Segundo o Capitão Túlio, o policial foi conduzido e está à disposição da Justiça solto. “Devido às claras atitudes de que agiu no estrito cumprimento do dever legal e na legítima defesa, ou seja, com excludentes de ilicitude, esse flagrante não foi ratificado. Ele foi liberado”.
 
O oficial ainda lamenta o que aconteceu por conta do destemperamento do pai e explicou a postura do policial. “É uma ocorrência em que o filho seria liberado, como aconteceu depois. Ele foi agendado para comparecer à delegacia na quinta-feira para responder ao inquérito que irá apurar a direção perigosa. Esse senhor veio a perder a vida por ter ameaçado a vida do militar. É importante ressaltar aqui que nenhum cidadão vai ficar nessa tranquilidade de ameaçar a vida do militar e o policial não irá se defender. Isso é legal, é justo, é legítimo. O policial tentou primeiro usar um instrumento de menor potencial ofensivo, que é o bastão tonfa, e não conseguiu desarmar o cidadão, momento em que teve que fazer o disparo de arma de fogo para proteção da própria vida”, afirmou.
 
Tribuna do Leste













}