Livro “República do Silêncio” chega revisado e ampliado a sua terceira edição



 

Tamanho da fonte    




O livro “República do Silêncio” tem oferecido grandes debates sobre a historiografia que estuda o período do coronelismo datado da primeira República Brasileira. De acordo com o professor Flávio Mateus dos Santos, autor da obra, foram vendidos mais de mil exemplares, sendo que, em sua grande maioria fora do Município de Manhuaçu.

“Cada exemplar vendido tem a possibilidade de atingir um professor, um curioso ou um historiador que, agora, munido de um material de conteúdo científico tem embasamento necessário para sustentar a existência de uma experiência política inédita na história do Brasil. Basta imaginar que, pelo menos a cada um destes exemplares, duas ou três pessoas ficassem sabendo desta fantástica história e a transmitisse a outros sucessivamente. O número de pessoas atingidas seria muito superior, é claro, ao número de compradores desta obra”, disse o autor, com entusiasmo pelo sucesso do livro.

O fato é que a obra tem sido revisada e ampliada a cada edição e, nesta terceira fase, Flávio Mateus afirma que novas fontes e novas abordagens foram incorporadas ao tema da experiência política da ‘República Manhuassú’, tornando a história mais interessante e respeitando sempre a opinião de leitores desta obra, incluindo a opinião e as fontes enviadas pelos leitores deste livro.

Quando começou a escrever sobre este tema, o historiador e Mestre em História Social, Flávio Mateus, dizia que já fazia uma ideia das dimensões políticas, sociais, econômicas e educacionais que este projeto poderia atingir sendo valorizado e trabalhado pelas pessoas certas em um dado momento da história. Pois a história da experiência política da ‘República Manhuassú’ oferecia uma situação essencial para um investimento econômico em grande escala na região leste do Estado de Minas Gerais, uma vez que grande parte da legislação que envolve os bens culturais e patrimoniais tem oferecido recursos muito importantes para o desenvolvimento social nos tempos atuais. E isso como ele mesmo afirmou já naquela época em 2006, quando havia terminado seu mestrado em História na Universidade Severino Sobra em Vassouras (RJ), já era bastante crescente.

Nesta terceira edição revisada e atualizada, novas fontes incorporadas à obra por leitores possibilitaram a este material a oportunidade de que estes também fizessem parte desta importante história, uma vez que, além de oportunizar o leitor a participação da atualização da obra em meio às fontes incorporadas pelos mesmos, incentiva a leitura e ainda cria a oportunidade de ter em mãos mais documentos para o acervo.

O governador Anastasia com um exemplar do livro (Arquivo pessoal do autor Flávio Mateus)

Recentemente o livro foi bastante elogiado pelo governador do Estado de Minas Gerais, Antônio Anastasia, o qual recebeu um exemplar da obra e enviou uma carta parabenizando ao autor pelo seu conteúdo. “Levar esta história ao conhecimento de grandes autoridades e personalidades políticas e sociais podem abrir importantes portas para o investimento na economia, na cultura e na história de nossa cidade”, apontou o professor Flávio Mateus.

Everardo C. Sette/TEMPO+