Local da futura agência do INSS em Manhuaçu continua indefinido



 

Tamanho da fonte    




Continua indefinido o futuro da agência do INSS em Manhuaçu. Em reunião na Câmara Municipal, o Gerente Executivo, Ricaro Orlandi Sales, explicou que há dois terrenos para a construção da sede própria e a possibilidade de alugar um novo imóvel. A definição deve acontecer nos próximos trinta dias.

A reunião teve a presença do Presidente da Câmara, Maurício Júnior, os vereadores Jorge Augusto Pereira, Juninho Linhares, Paulo César Altino e Francisco Coelho de Oliveira e do gerente executivo em Governador Valadares, Ricardo Orlandi Sales, o engenheiro Sávio Giacominni de Almeida, e a chefe da seção de atendimento Lorena Monteiro.

A equipe de representantes do INSS veio a Manhuaçu a convite da Câmara Municipal. Houve uma visita a diversas áreas em março e, desde então, não havia outro posicionamento.

Ricardo Orlandi informou que esteve na prefeitura e a equipe de governo apresentou a possibilidade de doação de uma área do município em frente aos loteamentos Cidade Nova e Vale Verde, próximos a antiga pedreira do bairro Bom Jardim; bem como uma área nas proximidades da avenida Tancredo Neves, num futuro acesso às casas do Minha Casa, Minha Vida, no Clube do Sol. Essa última área depende de negociação com particulares

O projeto padrão para construção da sede da agência mostra a necessidade espaço satisfatório para atender a todas as exigências de acessibilidade.

Em Março, os vereadores e a equipe do INSS estiveram em seis áreas diferentes. Agora, o número foi reduzido, mas a reunião na Câmara Municipal serviu justamente para pesar os prós e os contras das duas opções.

Uma preocupação do INSS é que normalmente quem procura a agência são pessoas idosas, gestantes, trabalhadores que precisam de perícia por causa de acidente de trabalho ou problema de saúde e portadores de deficiência. “A agência tem que ser acessível. A cidade de Manhuaçu tem uma topografia que não ajuda”, admitiu.

Possibilidades

No encontro, os vereadores também ponderaram as dificuldades e vantagens de cada área, mas não houve definição. Ricardo Orlandi admitiu que o INSS também trabalha com a hipótese de locação de um imóvel que vá atender com qualidade a população. “O atual espaço não está bom para os funcionários e nem para os segurados. Estamos com outro imóvel em vista, se não formos construir, por enquanto, devemos fazer a locação de outro ponto, na região da Baixada”, antecipou.

Decisão adiada

A definição sobre o futuro da agência ficou para ser tomada nos próximos dias. A equipe levou os dados e detalhes dos terrenos oferecidos e irá ponderar com a direção do INSS.

O Presidente da Câmara de Manhuaçu, Maurício Júnior, disse que a reunião foi um desdobramento de outros contatos feitos anteriormente. “O INSS deixou muito claro que existem recursos para a construção da sede própria, mas, para isso, o município precisa entrar com a contrapartida de um terreno”, disse Maurício Júnior.
(foto: Assessoria de Comunicação)

Ele argumentou que é preciso uma definição, pois a demora está prejudicando os segurados. “Só vai ao INSS quem precisa e esta pessoa precisa ser bem atendida. Então, buscamos essa melhoria na qualidade do atendimento. O ideal é construir a sede, mas se não der para fazer isso agora, que possam ir para um lugar melhor. Queremos uma agência boa para os funcionários e para os trabalhadores”, finalizou.

Assessoria de Comunicação














}