MANHUACU.COM - Luta Antimanicomial será discutida nesta sexta-feira em Manhuaçu

Luta Antimanicomial será discutida nesta sexta-feira em Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




Com o objetivo de chamar toda a sociedade a uma reflexão profunda sobre o portador de transtorno mental, profissionais que trabalham na área da saúde mental estarão participando de um seminário, para ampliar o conhecimento, discutir com a sociedade a respeito dos portadores de transtornos mentais. O evento será sexta-feira, 18, data em que se comemora o Dia Nacional da Luta Antimanicomial.
 
Por outro lado, ainda se faz necessário um trabalho de reeducação no modo de compreender os transtornos mentais, não como um estigma, mas um modo alternativo de ver e estar no mundo. Também é importante que haja o respeito e a conscientização, como instrumentos necessários para reformular o modo como os pacientes eram tratados, dentro e fora de instituições responsáveis pelo tratamento.
 
Em Manhuaçu, o trabalho de saúde mental teve início em 1998 com aproximadamente 90 internações por ano. Atualmente, o CAPS II tem 430 assistidos e acompanhados sistematicamente pela equipe de profissionais.  O CAPS AD está com 260 assistidos e o CAPS i 180 adolescentes de faixa etária variada, com acompanhamento direto. Segundo o coordenador municipal de saúde mental, Dimitri Xavier Borges as causas mais comuns, que levaram essas pessoas a serem portadoras de transtorno mental estão ligadas ao campo social, genético e comportamental. “A tendência é aumentar cada vez mais o número de pessoas com transtorno mental. Por isso, torna-se importante que a sociedade participe ativamente desse processo de discussão democrática, e assim, todos terão sabedoria até mesmo para lidar com o problema”, detalha Dimitri Xavier Borges.
 
Mobilização social para discutir o assunto
 
O coordenador municipal de saúde mental relata que o Dia Nacional da Luta Antimanicomial é um momento de celebrar e, ao mesmo tempo refletir sobre a mudança do modelo de tratamento de saúde mental que existia no Brasil e, com a criação dos CAPS em 1992, os serviços públicos oferecidos em unidades regionais, passaram a oferecer tratamentos intensivos, semi-intensivos e não intensivos.
 
Em Manhuaçu, várias atividades estarão marcando o Dia da Luta Antemanicomial, com a participação dos CAPS II,CAPS AD E CAPSi. A primeira ação aconteceu na tarde desta terça-feira, 16, no coreto da Praça Cordovil Pinto Coelho com apresentação de oficinas, músicas, usuários do serviço da saúde mental e funcionários. 
 
 No dia 18, haverá o seminário da saúde mental, no anfiteatro da Câmara Municipal a fim de dar voz aos familiares e usuários do serviço de saúde mental. Outras ações também estarão acontecendo nesse dia, alusivas ao Dia Nacional da Luta Antimanicomial. “O momento é de relembrar e refletir, pois, não podemos retroceder ao antigo modelo com internações compulsórias, manicômios e exclusão do tratamento de um paciente que está com a doença. Hoje precisamos ter união, pois todos os setores unidos farão com que tenhamos uma sociedade mais forte, e caminhemos firmes e fortes também”, destaca Dimitri Xavier Borges.
 
Assessoria de Comunicação













}