Mãe é acusada de estuprar o próprio filho, em Caratinga



 

Tamanho da fonte    




A denúncia foi feita à polícia através de uma conselheira. O órgão foi acionado pela madrasta e o pai, na tarde desta quarta-feira, 11/04.
 
A criança, de 9 anos, chegou na casa do pai, Maxuel Rodrigues Cândido, de 25 anos, que é pedreiro; e da madrasta, Thais de Paula Pereira Rodrigues, de 24 anos, dona de casa; dizendo que iria à delegacia fazer uma queixa contra a mãe, Michele Aparecida Braz, de 26 anos, de estupro.
 
De acordo com Thais, o jovem chegou à residência deles em uma bicicleta, sem camisa e bastante agitado, contando do ocorrido.
 
Thais não conseguia acreditar no que havia ouvido. Questionou a criança, por diversas vezes, até que ligou para a cunhada – com medo da reação do pai do menor – que estava trabalhando. Segundo ela, não era comum o enteado ir para a casa deles sozinho, nem durante a semana.
 
Assim que acionada, a Polícia Militar iniciou as diligências e prendeu, na Rua José Alves Pereira, no Bairro Anápolis, em Caratinga, Michele e Luiz Fernando Abranches Rodrigues de Oliveira, de 24 anos, suspeitos de terem abusado sexualmente do menor. A vítima relatou às autoridades que a mãe dela teria permitido que diversos homens fossem para sua casa, onde consumiram álcool e drogas, e que em determinado momento teriam começado a fazer sexo. Michele, então, teria – ainda de acordo com o que a criança contou – mandado, sobre ameaças de agressão física, que ela retirasse as roupas, momento em que Luiz Fernando, juntamente com outra pessoa, praticaram o estupro. Além de penetração, o menino ainda foi obrigado a fazer além de ser também submetido a sexo oral com a mãe e os outros envolvidos, conforme relato da vítima e o registo de BO.
 
A vítima foi levada até a Unidade de Pronto Atendimento de Caratinga (UPA 24H), encaminhada a um médico legista que, após exames, constatou fissura anal na criança, confirmando violência sexual.
 
Bastante abalado, o que o pai quer é a guarda da criança. Ele e Thais, a atual companheira dele, fizeram questão de conversar com nossa reportagem e deixar um alerta aos pais, para que cuidem e fiquem atentos às reações de seus filhos.
 
Segundo a família, esta não seria a primeira vez que a criança teria sofrido violência sexual. Entretanto, o menor só teve coragem de contar sobre os abusos sofridos agora.
 
De acordo com a Polícia Civil, os envolvidos conduzidos à delegacia tiveram a prisão em flagrante ratificada por estupro de vulnerável e foram encaminhados ao Presídio de Caratinga. Um inquérito policial foi instaurado para investigar os fatos e identificar e prender possíveis coautores do crime. Estão sendo aguardados laudos periciais e o caso será investigado pela Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (DEAM), por se tratar de uma vítima menor de idade.
 
TV Super Canal













}