Manhuaçu: CMS debate sobre Ortopedia, Colonoscopia, Dengue e Gripe



 

Tamanho da fonte    




Mais uma importante reunião foi promovida pelo Conselho Municipal de Saúde (CMS), de Manhuaçu. Conselheiros se reuniram no auditório da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), na quarta-feira, 13/04. Casos de dengue, mortalidade materna e infantil, problemas no setor de ortopedia, deficiência na realização de exames de colonoscopia, vacinação contra gripe e outros assuntos movimentaram a reunião.

Problemas nos exames de colonoscopia

Atualmente cerca de 40 pessoas aguarda na fila para realizar exame de colonoscopia, por conta da falta da assinatura de um contrato entre a SMS e o Hospital César Leite (HCL). Para resolver o problema, ficou acertado o estudo da possibilidade de compra dos exames para pacientes considerados clinicamente graves por parte da SMS, enquanto se aguarda o fechamento do contrato definitivo.

Ortopedia

Foi formada Comissão Especial composta de quatro conselheiros de saúde para fazer um completo levantamento da situação do setor de ortopedia da Secretaria de Saúde. Dois graves problemas foram denunciados mais uma vez. Um deles a decisão de um dos médicos que atende no local de comparecer ao consultório do setor somente de 15 em 15 dias, quando os demais trabalham semanalmente. Outra situação que será averiguada são as dependências físicas do setor de ortopedia que não oferecem condições dignas para os pacientes e para os profissionais que lá trabalham. A comissão fará um amplo levantamento para nortear  o pedido até mesmo de intervenção no local, já que a Vigilância Sanitária ainda não o fez, mesmo diante da precariedade verificada.

(foto: Luiz Nascimento)

Vacinação contra gripe

Maria de Fátima Braga, do setor de epidemiologia da SMS, participou da reunião para pedir o apoio dos conselheiros na divulgação da campanha de vacinação contra o vírus influenza (transmissor da gripe). O período de vacinação compreende o período de 30 de abril a 20 de maio. O “Dia D” da campanha será sábado, 30/04, de 08h00 às 17h00, em todas as unidades de saúde e nos postos de saúde do Pedregal e de Realeza. Deverão ser vacinadas crianças de 6 meses a menores de 5 anos, gestantes, puérperas – mulheres que ganharam crianças a menos de 45 dias, idosos a partir de 60 anos, trabalhadores de saúde – público e privado, indígenas, doentes crônicos, presidiários e partícipes de grupos sócio-educativos com idade de 12 a 21 anos.

Casos de dengue

Conforme solicitação do CMS foi apresentado o último balanço dos casos de dengue em Manhuaçu. Até a data da reunião foram notificados 1745 casos suspeitos da doença no município, dos quais 666 tiveram resultados positivos para dengue. As ações de combate continuam, tendo em vista a epidemia de dengue no município.

(foto: Luiz Nascimento)

Mortalidade materna e infantil

O Comitê Municipal de Prevenção de Mortalidade Materna, Fetal e Infantil, apresentou o relatório dos levantamentos feitos em 2015, ano em que morreram 24 mulheres em idade fértil em Manhuaçu, com um caso materno classificado como não evitável. Os óbitos fetais (antes de 20 semanas) somaram 15, sendo dois evitáveis, doze não evitáveis e um inconclusivo. As mortes de crianças totalizaram 11, sendo uma de causa evitável, oito não evitáveis e dois inconclusivos. Conselheiros pediram que seja encaminhado ao Comitê solicitação de uma planilha comparativa com o ano de 2014 para ser apresentada ao CMS.

Reivindicações dos conselheiros

Conselheiro Jadir, de São Pedro do Avaí,  pediu melhoria na limpeza dos banheiros públicos existentes na recepção da Unidade de Pronto Atendimento (UPA), acrescentando que os mesmos devem ficar abertos (atualmente tem que se pegar a chave na recepção). O mesmo conselheiro pediu ainda a instalação de um bebedouro na recepção do HCL, sendo informado que já está sendo providenciado. Jadir voltou a cobrar a construção de uma rampa na Casa Azul ou a abertura do portão lateral, pois pacientes tem dificuldade para subir a escada de acesso ao local.  Segundo Pedro Paulo Ribeiro, diretor da SMS, o problema acabará com a  mudança de endereço da Casa Azul para o antigo CEI Central.

Conselheiro Milton Filgueiras reclamou de atendimento prestado pela UPA, onde um paciente foi liberado com plaquetas muito baixas (63.000). O diretor administrativo da SMS, Pedro Paulo Ribeiro, pediu mais informações para apurar o caso.

Conselheiro José Garcia, de Bom Jesus de Realeza, voltou a cobrar melhoria no transporte do médico que atende as comunidades de Santo Amaro de Minas, Boa Vista e Bom Jesus. Continua havendo atrasos. Também falou sobre mudanças no horário de atendimento médico na comunidade, assunto que será discutido na reunião do COUS local. Presidente do CMS, Nelson de Abreu disse que o horário de atendimento tem de estar de acordo com a população. Outra reclamação é quanto a demora das consultas e procedimentos agendados pelo setor de Tratamento Fora do Domicílio (TFD).

“Anota-se tudo do paciente com muita presteza, mas a ligação para confirmar a realização não chega tão fácil”, disse o conselheiro.

Outra reclamação apresentada foi quanto ao atendimento prestado a uma gestante na maternidade do HCL. A mulher esteve no local dia 14 de março com fortes dores e foi mandada de volta para casa. Ao voltar no dia 17/03, foi novamente liberada e ao sair começou a passar mal ainda na Praça Doutor César Leite. Ao voltar para a maternidade o atendimento foi prestado depois de muita insistência da família que ameaçou chamar a polícia. A criança nasceu de cesariana. Segundo o conselheiro que apresentou a reclamação,  a criança nasceu com a pele roxa, porque passou da hora do parto. “Felizmente ela está bem, mas a demora no atendimento colocou a vida da mãe e bebê em risco”, disse o reclamante que alerta que o fato não pode continuar se repetindo.

Conselheiros foram informados sobre o depósito de R$ 226.240,00 na conta da SMS. Os recursos são de emenda parlamentar apresentada pelo deputado Padre João e serão utilizados para compras de material permanente para atenção básica a saúde do município.

Luiz Nascimento














}