Manhuaçu integra “Minas Território da Cultura”



 

Tamanho da fonte    




O Governo de Minas Gerais, por meio da Secretaria do Estado de Cultura, pela primeira vez, realiza o programa “MINAS Território da Cultura”. A iniciativa visa a descentralização e regionalização das ações culturais em Minas Gerais, abrangendo a dez macrorregioões do Estado.

O lançamento do programa aconteceu nesta quinta-feira, dia 7 no município de Muriaé. O diretor de Cultura de Manhuaçu, SJ de Moraes, esteve presente no evento, juntamente com o secretário municipal de Agricultura, Indústria e Comércio de Manhuaçu, Eduardo Heringer.

Entre os objetivos do programa estão a valorização e a divulgação da diversidade cultural mineira, a promoção do desenvolvimento regional por meio da cultura, a circulação de bens culturais e a capacitação e aperfeiçoamento dos agentes culturais, além de difundir e aumentar a demanda pelos programas e ações do Sistema Estadual da Cultura.

O “MINAS Território da Cultura” ocorrerá de março de 2013 à junho de 2014. Ele oferecerá cursos de capacitação e formação, palestras, espetáculos, exposições, mostras de cinema e leitura de editais. As ações são articuladas em conjunto com a comunidade e os atores locais, as instituições culturais, os artistas e os produtores.

O programa conta com a parceria de diversas prefeituras, associações comerciais, instituições culturais locais, universidades, Pontos de Cultura e entidades como SESI-MG, SESC-MG e SEBRAE Minas.

Ideias e divisões do Programa

O “MINAS Território da Cultura” é estruturado em três grandes eixos que abrangem toda a cadeia produtiva da cultura, como produção, criação, exibição, circulação e formação, além dos agentes relacionados ao setor, também gestores públicos municipais, artistas, produtores e sociedade.

Um dos eixos é as “Dinâmicas Territoriais” compreendem ações voltadas para a discussão e a difusão das políticas públicas de cultura. Nelas estão englobados planos de cultura, programas territoriais e associativismo, mecanismos de financiamento, cultura e urbanismo, programas de fomento, identidade e diversidade cultural, participação social, entre outros. E também ações de capacitação e aperfeiçoamento para gestores e entidades públicas, encontros regionais e seminários.

Destinados aos produtores culturais e artistas, os “Territórios do Saber”, o outro eixo, contemplam ações de capacitação, formação e orientação, tanto na área artística quanto em gestão de cultura. Estão previstas, ainda, a realização de seminários artísticos, o estimulo à criação de Redes e Encontros Regionais e a difusão dos programas de fomento do Sistema Estadual de Cultura.

Os “Territórios Criativos”, terceiro eixo, são destinados à fruição cultural, envolvendo apresentações artísticas e grupos de instituições locais e parceiros, programas do Sistema Estadual de Cultura e a circulação de acervos desse sistema, com artes visuais, cinema, cultura popular, entre outros.

Aplicação do Programa em Manhuaçu

Em Manhuaçu alguns projetos serão aplicados, por meio de espetáculos e reuniões para gestores públicos.
O primeiro encontro será realizado no dia 27 de março e apresentará aos participantes as oportunidades oferecidas pelo “Música Minas”.

Trata-se de um programa voltado para o posicionamento e a promoção da música produzida em Minas Gerais, fruto da parceria entre a Secretaria de Estado de Cultura e o Fórum da Música do Estado. Durante o evento, será realizada uma apresentação detalhada dos editais de estímulo à produção, circulação e divulgação, bem como um levantamento de demandas e potencialidades do cenário musical local.

No dia doze de abril acontecerá a Rodada do ICMS Cultural promovida pelo Instituto IEPHA – Estadual do Patrimônio Histórico e Artístico de Representantes de vários municípios prestigiaram a programação de abertura (foto: Assessoria de Imprenssa)Minas Gerais – tem o objetivo de orientar os gestores municipais de cultura sobre a importância do ICMS Cultural, programa estadual de proteção ao patrimônio cultural, que gera repasses financeiros aos municípios. Durante o encontro, serão esclarecidas dúvidas sobre as tarefas a serem desenvolvidas e documentadas pelos municípios e sobre os encaminhamentos da documentação que é entregue ao IEPHA/MG em dezembro.

Na oportunidade, o projeto do SESC Minas apresentará o “Chorinho e Samba na Praça”, uma programação de música brasileira na Praça Cordovil Pinto Coelho, oferecendo estrutura técnica e novos espaços de apresentação para os artistas. O projeto incentiva a promoção do trabalho de novos artistas e a ocupação dos espaços públicos com cultura de qualidade. Entre os grupos que compõem o projeto, destacamos o Grupo Flor de Abacate, que desenvolve, desde 1989, um trabalho de pesquisa, estudo e divulgação da música instrumental brasileira, com destaque para o choro.

No dia treze de abril, Manhuaçu receberá o Ballet Jovem do Palácio das Artes no Centro Cultural João Bracks. Este grupo é um corpo de dança jovem formado por bailarinos com idade a partir de quinze anos que são preparados para atuarem em companhias e grupos profissionais estabelecidos no mercado brasileiro e internacional. É um projeto que valoriza o protagonismo juvenil. Em apenas cinco anos de atividades, sua dança vigorosa e cativante já recebeu mais de dez conceituados prêmios.

Secretaria de Comunicação Social