MG Transplantes faz captação de órgãos no Hospital César Leite



 

Tamanho da fonte    




Equipe do MG Transplantes realizou captação de órgãos durante a tarde desta sexta-feira, 19/02, no Hospital César Leite, em Manhuaçu. Segundo a direção do hospital, o doador é um homem que sofreu um acidente na semana passada, em São José do Mantimento, e teve morte cerebral nesta sexta-feira, 19/02. A família autorizou a doação de fígado, rins e córneas.
 
“Nós temos uma comissão interna da instituição, com profissionais que estão aptos para identificar os doadores potenciais e captar. É claro que há uma movimentação, com a realização de exames e abordagem da família. Constatado tudo isso, nós contatamos o MG transplantes”, explicou o Provedor Sebastião Onofre Carvalho.
 
A equipe do MG Transplantes chegou a Manhuaçu de avião e foi trazida para a cidade pela ambulância do Hospital César Leite com apoio do Corpo de Bombeiros. A captação do órgãos foi realizada durante a tarde no bloco cirúrgico e encaminhada para os hospitais onde os doadores já aguardavam para os transplantes.
 
Sebastião Onofre Carvalho reforça que a doação de órgãos é divulgada para incentivar outras pessoas. "É uma situação difícil para a família que perdeu um ente querido, mas ela oferece uma nova oportunidade para várias pessoas. Queremos agradecer à família desse rapaz e que Deus possa confortá-los sabendo que ajudaram ao próximo", pontuou.
 
A enfermeira Liliane Soares de Freitas, é membro da Comissão Intra-hospitalar para Doação de Órgãos e Tecidos (CIDOT) do Hospital César Leite, explica que o procedimento segue todos os protocolos do MG Transplantes. "O trabalho da comissão é acionado a partir do diagnóstico de morte cerebral do paciente que está internado. São seguidas todas as rotinas para confirmação e fazemos o contato com a central do MG Transplantes em Governador Valadares".
(foto: Divulgação)
 
Liliane Soares conta que é a família quem define tudo. "O hospital não interfere e nem influencia. Se a família autoriza a doação, passamos a fazer o contato para que a equipe especializada venha até o HCL faz a captação, especialmente por conta do intervalo necessário para que o transplante seja viável".
 
A enfermeira Sulamita Heringer, que também integra a comissão, conta que "pelo menos outras seis pessoas irão renascer hoje e se alegrar. É um gesto nobre transformar uma dor num novo começo para várias famílias. Isso é fantástico. É um ato de amor ao próximo".
 
Ela explica que a região tem um histórico de acidentes por causa das rodovias. Nesse caso, é importante a conscientização sobre a doação de órgãos. "Toda pessoa que quer ser doador, deve conversar com a família. O cidadão deve informar essa vontade aos familiares e, no caso de uma fatalidade, seu desejo será respeitado".
 
O Diretor Assistencial do HCL, Chardson Roberto da Paixão, ressalta que a intenção é sempre divulgar as doações como forma de incentivo a outras pessoas. "Não queremos que aconteçam acidentes, mas eles ocorrem, por isso é importante a consciência sobre a doação. O Hospital César Leite realiza um trabalho muito ético e técnico que cumpre à risca o protocolo do MG Transplantes. Mais uma vez quero agradecer à equipe multidisciplinar formada pelos médicos, enfermeiros, fisioterapeutas, assistência social, pessoal da UTI, Centro Cirúrgico. Sem essa mobilização toda não seria possível cumprir esse papel importante da doação. Venho agradecer também a essa família que compreendeu a importância da doação de órgãos".
 
Assessoria de Imprensa