MANHUACU.COM - Plano de Saneamento Básico de Manhuaçu é aprovado em Audiência Pública

Plano de Saneamento Básico de Manhuaçu é aprovado em Audiência Pública



 

Tamanho da fonte    




Após dezoito meses de trabalho, o Governo de Manhuaçu, por meio dos Comitês Executivo e de Coordenação e a empresa Vallenge Engenharia, responsáveis pela elaboração do PMSB – Plano Municipal de Saneamento Básico, apresentou em audiência pública, na Câmara de Vereadores, na noite desta quinta-feira, 09 de julho, as oito etapas que compõe o projeto, que será implantado no município nos próximos vinte anos. Além de autoridades políticas, estiveram presentes representantes dos mais diversos seguimentos da sociedade civil. 
 
O secretário Executivo, Eliésar Ribeiro, abriu os trabalhos, apontando como foi realizado cada etapa que culminou no Plano, e mostrou o passo a passo com a participação pública desde o primeiro momento, quando se iniciou as bases para a composição dos oito produtos do projeto. Na sequência, o cerimonial conduzido pelo jornalista Júlio Oliveira, abriu a palavra para a presidente do CBH – Comitê de Bacia Hidrográfica da Bacia do Rio Manhuaçu, Isaura Paixão. Ela destacou o trabalho incansável das equipes. O presidente do CBH do Piranga, Carlos Eduardo Silva, representou o presidente do IBIO AGB Doce, Eduardo Figueiredo, que devido a um imprevisto não pode comparecer. Silva destacou a parceria entre os CBHs e exemplificou que a implantação do projeto de saneamento é uma compensação do valor pago pelo município e que agora retorna em forma de projeto.
 
O presidente da Câmara de Vereadores acompanha a elaboração do Plano desde o começo, além de ter participado de outras apresentações prévias à Audiência Pública, durante seu pronunciamento destacou a competência dos envolvidos e disse que o Legislativo aguarda para dar continuidade ao processo que vai garantir uma Lei para que o município seja saneado. “Hoje, foi aprovado por todos esse plano. Agora com certeza será encaminhado para a Câmara, e vamos analisar mais uma vez e votar para que Manhuaçu tenha esse planejamento aprovado. Sabemos que é para 20 anos, mas sabemos que nada é de uma dia para o outro” – ponderou ainda destacando o empenho do prefeito Nailton Heringer para que isso ocorresse.
 
Por fim, o prefeito Nailton Heringer, último a se pronunciar, elucidou o trabalho incansável de todos os envolvidos. Também parabenizou a garra da presidente do CBH Manhuaçu em levantar recursos para elaboração do PMSB, e apontou as inúmeras vezes que ele mesmo, acompanhou o trabalho dos Comitês junto a população, e nas muitas horas de leitura e propostas de ajustes do projeto, até chegar a audiência pública. 
 
Na segunda parte da audiência, Roberto Rúbio, consultor da Vallenge Engenharia, ficou responsável por detalhar o PMSB. E produto a produto apontou como foi estabelecido planos de investimentos, projeções, mapeamento da cidade, previsão de crescimento populacional, projetos tanto na área urbana como na zona rural, englobando a sede do município e todos os distritos. “Foi um trabalho longo e muito bem elaborado pelo município. O que trouxemos aqui hoje, foi um resumo de tudo aquilo que representa o plano. Foi uma das coisas mais importantes que a gente viu, a participação efetiva da população, na construção do plano” – relatou Rúbio.
 
Para os presentes, o resultado da elaboração foi minucioso, mas alguns viram a necessidade de sugerir em alguns casos melhor detalhamento, e em outros pequenas intervenções para que a aplicação seja eficaz, como destaca o professor Eres da Silva Adriano, do distrito de Vila Nova, que também foi um dos delegados na fase de levantamento das informações. “O fato é que a gente vê as obras sendo construídas e muitas vezes sem planejamento de rede de esgoto ou pluvial, e isso faz com que sejam lançadas em conjunto. As nossas redes são mistas, e precisamos mudar isso” – defendeu. 
 
Já a engenheira ambiental, Betânia Gomes, que faz parte de uma população flutuante, e que cresce cada vez mais no município, aprovou o projeto, mas ressalvou: “tive uma preocupação sobre a população flutuante, porque Manhuaçu recebe muitas pessoas de cidades ao redor e inclusive do Espirito Santo, e como essa população contribui para a geração de resíduos sólidos, consumo de água e geração de esgoto, foi uma dúvida que elenquei, se essa população foi abordada no plano. E me foi explicado que nessa fase do projeto não, mas na próxima revisão do plano será, pois vai ajudar na eficácia de implantação” – explicou.
 
Integrante da ONG pró Rio Manhuaçu, Alisson Campos Sad, militante da área ambiental há algum tempo, também acompanhou a Audiência e avaliou o plano positivamente. “Li toda a minuta a achei muito bom, abrangendo as áreas importantes para o saneamento do município, isso é um passo importante para a nossa qualidade de vida. Mas fiquei com algumas dúvidas, pois desde que o Plano começou a ser elaborado, a situação climática de Manhuaçu mudou muito, tínhamos um excesso de água no Rio Manhuaçu e passamos a sofrer falta de água, e é possível que a situação diminua ainda mais devido à ausência de chuva e também de como será cumprida a Lei, já que é um prazo longo, e muitos governos passarão no período” – salientou.
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
Em relação aos dois questionamentos, o secretário Executivo do Plano, exemplificou que esse é um instrumento da população, que será fiscalizadora juntos com os órgão de competência para seu cumprimento, e que a questão da água também foi avaliada. Ao final, Eliéser se disse satisfeito com o resultado. “Foi uma noite singular, uma noite histórica em Manhuaçu, onde junto com a comunidade podemos fazer a aprovação desse plano, muito importante para o município e que consegue abarcar todas as áreas do saneamento. Então temos uma perspectiva para os 20 anos do que a cidade vai ser e o que esperar para a cidade” – finalizou.
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu