Polícia Militar esclarece crime de latrocínio que vitimou taxista de Santana e prende um autor envolvido no crime



 

Tamanho da fonte    




Na segunda-feira, 24/07, a Polícia Militar, por intermédio de atuação dos integrantes do 11° BPM- Manhuaçu e do 62° BPM- Caratinga, elucidou um crime de latrocínio tendo como vítima um taxista da cidade de Santana do Manhuaçu, chegando à prisão em flagrante delito de um autor e da companheira dele, além da identificação de um menor infrator que teria participado nos fatos.
 
No domingo, 23/07, por volta das 11h e 30 minutos, Policiais Militares do Pelotão de Simonésia foram solicitados a registrar uma ocorrência de desaparecimento de uma pessoa moradora da cidade de Santana do Manhuaçu, tratando-se de um taxista que trabalhava naquela cidade. 
 
Na ocasião o solicitante, que é irmão da pessoa desaparecida, informou aos Policiais Militares que na data de 22/07, sábado, por volta das 20 horas, a vítima foi solicitada pelos autores a fazer uma viagem de taxi até o Córrego Cabeceira de Santana, zona rural de Santana do Manhuaçu, sendo este o último momento de contato do desaparecido com familiares e amigos.
 
Após essas diligências preliminares a equipe policial de Simonésia e de Santana do Manhuaçu obtiveram informações acerca de dois indivíduos suspeitos, que são irmãos e oriundos da cidade de Caratinga. Souberam também que antes dos fatos eles estariam trabalhando na colheita de café no município Santana do Manhuaçu.
 
Os Policiais Militares do 11º BPM fizeram contatos com integrantes da Policia Militar de Caratinga e de outras cidades circunvizinhas, interagindo as informações no sentido de localizar os suspeitos.
 
Alguns familiares dos suspeitos foram localizados e informaram que referidos indivíduos estiveram na zona rural de Santana do Manhuaçu, no Córrego Cabeceira de Santana, onde pegaram alguns pertences e saíram juntamente com a companheira de um deles, com destino a cidade de Caratinga. Os familiares disseram ainda à guarnição policial que teriam sido informados que os suspeitos teriam chegado à cidade de Caratinga por volta de meia-noite de sábado para domingo.
 
Em seguida os Policiais Militares obtiveram o número de telefone da companheira do autor. E após os Policiais conversarem com ela por intermédio do telefone, esta disse que iria procurar uma Fração Policial para prestar esclarecimentos.
 
Em continuidade às diligências, surgiram informações oriundas de Caratinga dando conta que na manhã do dia 23/07, os autores foram vistos transitando em um veículo com características semelhantes ao veículo pertencente ao taxista, fato que fortalecia a suspeição acerca dos envolvidos, pois se tratava do veículo de propriedade do taxista desaparecido. 
 
O veículo do taxista foi encontrado na segunda-feira, 24/07, abandonado em uma estrada vicinal no córrego Varginha (fazenda Barbosa), quando surgiram informações de que o citado veículo teria vindo de uma propriedade onde reside uma irmã dos autores, sendo que após contato, esta relatou que os autores e a companheira do mais velho estiveram em sua casa no domingo, 23.
 
Durante o rastreamento uma equipe policial de Caratinga recebeu informação que um cidadão com fisionomia semelhante a um dos suspeitos pelo desaparecimento do taxista estaria próximo a um supermercado, na rua Santo Antônio, naquela cidade, onde estaria comercializando e oferecendo drogas aos transeuntes. Ele foi abordado e foi confirmado que se tratava de ANDRÉ, um dos suspeitos que estava sendo procurado. Em consulta junto ao sistema ISP/MG foi encontrado a existência de registro de fuga do sistema prisional em desfavor dele. 
 
Em diálogo com os Policiais Militares o autor repassava diversas informações falsas e desencontradas, pois as alegações não eram coerentes com as informações colhidas com os familiares dele.
 
Durante as diligências a equipe policial recebeu informação que a companheira do autor André havia chegado ao destacamento PM da cidade de Santana do Manhuaçu para prestar esclarecimentos em relação aos fatos, sendo conduzida para o Pelotão de Simonésia por medida de segurança.
 
Quando a guarnição PM chegou a Simonésia, retornando de Caratinga, receberam a informação de que o autor André, após saber que sua companheira ia prestar esclarecimentos sobre os fatos, resolveu colaborar com os trabalhos policiais, assumindo que havia matado o taxista a pauladas e jogado o corpo na zona rural de Santana do Manhuaçu, disponibilizando-se a mostrar para os Policiais Militares onde estava o corpo do taxista.
 
Em seguida policiais Militares deslocaram com o autor até o córrego Arco Verde, no alto de uma lavoura de café, onde o autor indicou o exato local onde havia enterrado o corpo do taxista. O corpo foi encontrado coberto por terra com apenas os pés a mostra, com vários galhos de café cobrindo-o. 
 
A Perícia foi acionada e realizou os trabalhos de praxe, liberando o corpo da vítima ao serviço funerário.
 
TV Super Canal













}