População participa de mobilização e apoia Judiciário e Ministério Público



 

Tamanho da fonte    




Populares empunhando a Bandeira Nacional, bolas verde e amarelo enfrentaram a chuva do meio dia deste domingo, 04/12, para participarem da mobilização em apoio a operação Lava-Jato, Poder Judiciário e Ministério Público que estão no combate a corrupção no País. A manifestação também serviu para atentar as pessoas sobre as manobras do Congresso Nacional que, na última semana, alterou completamente o pacote com as 10 medidas para o Combate à Corrupção elaborado pelo Ministério Público Federa. A atitude dos Congressistas provocou revolta em toda a população e também no Poder Judiciário e Ministério Público.
 
Em Manhuaçu, os participantes da mobilização foram recebidos na porta do Fórum Desembargador Alonso Starling por representantes do Ministério Público e Judiciário, que vieram acompanhados de familiares. Em nome do Ministério Público, a Promotora de Justiça, Dra. Giannine Mota Maeli Miranda destacou a necessidade de a população levantar a cabeça para evitar que as coisas continuem sendo tratadas de qualquer maneira. Ela ressalta que, ao tentar tirar a autoridade do promotor e do juiz, fica mais fácil para aqueles que gostam de se corromper. “Não podemos admitir que façam isso, senão a população vai sofrer. Zelamos pela Justiça, gostamos do que fazemos. No entanto, com o que pode acontecer fica evidente que o papel do promotor e do juiz ficará prejudicado. Por isso é importante a reação do povo diante do comportamento dos legisladores”, disse a promotora.
 
Com votações expressivas contra o texto elaborado pela força tarefa de Curitiba, os deputados rejeitaram pontos como a tipificação do crime de enriquecimento ilícito de funcionário público, a ideia de tornar a prescrição dos crimes mais difícil e a de facilitar a retirada de bens adquiridos com a atividade criminosa. Os parlamentares retiraram ainda a instituição do chamado “delator do bem”, pessoa que ganharia uma recompensa por entregar às autoridades crimes do qual não participe, mas que tenha conhecimento.
 
Um dos organizadores da manifestação, Helder Lourenço, enalteceu a presença dos manifestantes que mesmo debaixo de chuva estavam participando. Disse ainda que, a população precisa estar participativa e sempre observando o que está acontecendo. “A partir de hoje surge em Manhuaçu um movimento forte “Vem pra Rua Manhuaçu”. Será criado também um Comitê, no sentido de  acompanhar todas as ações dos nossos representantes na esfera municipal, estadual e federal”, destacou Helder Lourenço.
 
Em entrevista à reportagem do Tribuna do Leste, Dra. Beatriz Lemos Prata disse que, ao participar de um ato de apoio, significa que a população não quer ficar refém. Durante o discurso, ela citou a intenção do Congresso ao fazer alteração no pacote anticorrupção, como uma forma de tentarem se blindar contra possíveis investigações. “Temos de lutar para que tenhamos um País justo, onde pessoas vivam com dignidade e que as mudanças necessárias aconteçam”, pondera Beatriz Prata.
 
A reportagem conversou também com o médico e participante da mobilização, Dr. Luiz Carlos Lemos Prata. De forma precisa, ele pontuou que a partir do momento em que o legislativo tenta “burlar” as normas para não serem punidos, significa verdadeiramente que o político exerce mandato como se fosse profissão. Ao destacar a situação em que hoje o Brasil está passando, com corrupção para todos os lados, Dr. Luiz Carlos Lemos Prata faz uma ponderação. “Nosso hospital Cesar Leite está vivendo uma crise, porque a política levou o país a situação terrível. Infelizmente chegou em Manhuaçu. Estou indignado e por isso estamos lutando por uma Manhuaçu melhor e para que o povo seja respeitado”, conclui Dr. Luiz Prata.
 
Eduardo Satil/Tribuna do Leste
 
Envie notícias, fotos e vídeos para o nosso WhatsApp (33) 99906-5656