Professor de Muay Thai de Manhuaçu e alunos participam de seminário com lutador do UFC



 

Tamanho da fonte    




O professor de Muay Thai de Manhuaçu, Felipe Fagundes, e os atletas da equipe Gladiators Fight Team, Adilio Santos, Bruno Rocha e Gabriel Soares participaram de seminário de MMA com o renomado atleta do UFC, Glover Teixeira, no Centro de Treinamento Diego Balloutta Team, em Governador Valadares, na quarta-feira, 24/01.
 
O evento contou com a participação de 50 alunos, além dos profissionais do Canal Combate que fizeram algumas gravações.
De acordo com Felipe Fagundes, foi um momento para buscar novos aprendizados. “A arte marcial apesar de ser milenar, sempre passa por adaptações, e estamos em busca de conhecimento. Gostaria de agradecer a recepção de todos em Valadares”, contou Felipe.
 
27 vitórias e seis derrotas no MMA
 
Glover Teixeira atualmente mora nos Estados Unidos, mas é natural de Sobrália, município do Colar Metropolitano do Vale do Aço. O brasileiro é o 2º do ranking da categoria meio-pesado do UFC e tem um cartel de 27 vitórias e seis derrotas no MMA. 
O experiente atleta contou sobre a importância de participar de seminários eventos no Brasil. “Acho legal e muito importante realizar esses eventos no Brasil. Muita gente diz que “santo de casa não faz milagre”, mas fizemos um trabalho excelente, a academia ficou lotada no evento e pude passar um pouco do que eu sei pra essa galera nova que gosta do MMA, esporte que tem crescido muito a cada dia”, disse.
 
Para aqueles que sonham um dia ser um atleta de MMA, Glover Teixeira deu algumas dicas. “A pessoa tem que treinar sempre, nunca perder o foco e muitas vezes abdicar do lazer. O MMA é um esporte sério, não dá para ser um atleta de alto rendimento se a pessoa não faz uma boa preparação. Tem que ter o cuidado de não exagerar na bebedeira, pois a ferramenta de trabalho do atleta é o corpo. A pessoa que deseja ser um atleta de MMA precisa estar bem preparada em todos os aspectos. Esse nível de preparação não vem de um dia para o outro. É muito trabalho duro, a pessoa tem que estar disposta a pagar o preço”, concluiu.
 
Geilson Dangelo













}