Programa do PAA beneficia 59 famílias em Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




O Programa de Aquisição de Alimentos – PAA, intermediado pela Companhia Nacional de Abastecimento – CONAB, com recursos interministeriais do Desenvolvimento Agrário e do Desenvolvimento Social e Combate à Fome, beneficia centenas de pessoas em Manhuaçu.
 
O Governo de Manhuaçu, por meio da Secretaria de Agricultura, e a EMATER MG organizam as famílias agricultoras com os produtos que tem disponibilidade para a venda. “A gente participa na modalidade de compra simultânea com doação” – afirmou a extensionista da EMATER, Sirlei Sanfelice. Neste caso, as famílias de agricultores são reunidas em Associações que definem as entidades a serem beneficiadas com a entrega dos alimentos.
 
As famílias beneficiadas com o PAA estão reunidas em quatro associações no município. São oito famílias na Associação de Serra do Ouro e 15 famílias na Associação de Vila de Fátima, ambas no Distrito de Sacramento, 13 famílias na Associação São Geraldo/Gavião e 23 famílias na Associação dos Diniz, as duas no Distrito de Dom Correia.
 
Os projetos do PAA têm duração de 12 meses e beneficiam atualmente um total de 59 famílias. “São esposa, filhos, maridos envolvidos, então esse número de agricultores envolvidos triplicaria os beneficiados pelo menos. Hoje em Manhuaçu nós temos de 150 a 200 pessoas envolvidas diretamente no projeto” – disse a extensionista.
 
O PAA pode comercializar, por família, até oito mil reais, o que dá uma renda extra de quase um salário mínimo por mês. Nos últimos doze meses, segundo levantamento, foram vendidos aproximadamente R$ 360 mil, equivalentes a 200 mil quilos de produtos que foram doados para as entidades apontadas pelas associações. “A gente sempre estimula o produtor a cadastrar frutas como manga, carambola, acerola, banana, que ficam em casa” - pontuou. “Eles focam na questão do café e os outros produtos, como é difícil o mercado eles não faziam a venda deles e hoje estão tendo uma renda com isso” - completou.
 
Alguns projetos estão terminando e dois já foram encaminhados para renovação, o da Serra do Ouro e Vila de Fátima, com previsão de aumento na quantidade de produtos comercializados e no valor arrecadado, beneficiando mais as famílias. O secretário de Agricultura, Sandro Tavares, informou que outras três comunidades podem ser incluídas no PAA, beneficiando mais famílias.
 
A produção de cada associação para o PAA já está vinculada a entidades que são beneficiadas com os repasses. A Associação da Serra do Ouro repassa os produtos para o CRAS Manhuaçu. A Associação dos Diniz repassa para a Associação de Mães de São Pedro do Avaí. A Associação de Vila de Fátima repassa para o Asilo São Vicente de Paula, APAE, Creches da FUMAPH, Engenho da Serra e da Matinha, e ainda para o Núcleo do Câncer.
 
Hoje os produtos são repassados diretamente das Associações para as entidades beneficiadas, mas a meta é a criação de um banco de alimentos para recebimento e distribuição. Para as associações será mais interessante para facilitar a prestação de contas. Para a entidade recebedora, banco de alimentos vai possibilitar a diversificação de produtos. “O Diniz produz mais verduras e doces e tem a padaria, a Vila de Fátima possui mais frutas, a Serra do Ouro mais verduras. Com o banco de alimentos as entidades vão receber um pouco de todos os produtos” – destaca Sirlei. O banco possui outras atribuições também como pesagem, recebimento e entrega dos produtos. Segundo Sandro Tavares, a assessoria jurídica do Município prepara o projeto que deve ser enviado à câmara de vereadores, para criação do banco de alimentos.
 
Acompanhamento
 
A Secretaria Municipal de Agricultura e a EMATER tem participação direta em todo o processo em relação ao PAA, desde o levantamento dos produtos e das produtoras, assistência técnica para o planejamento e plantio e ainda acompanhamento da entrega e prestação de contas. A secretaria de Agricultura auxilia no transporte dos produtos da zona rural para as entidades beneficiadas. O secretário Sandro Tavares acompanha todas as etapas, desde o plantio, colheita, pesagem e distribuição dos produtos para as entidades. 
 
“É um projeto que melhora a economia das famílias e a diversificação dos produtos. Socialmente melhora a qualidade da alimentação nas entidades. É uma união de forças das Associações, do Governo de Manhuaçu por meio da Secretaria de Agricultura e a EMATER” – completou Sirlei. Para o secretário de Agricultura, Sandro Tavares, objetivo é ampliar o número de famílias atendidas, garantindo renda extra e melhor qualidade de vida.  
(foto: Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu)
 
Secretaria de Comunicação Social de Manhuaçu













}