Projeto em Manhuaçu utiliza Jiu-Jitsu para ajudar crianças carentes



 

Tamanho da fonte    




Tirar os adolescentes dos caminhos das drogas e violências em geral, através do ensino do Jiu-Jitsu para que os alunos tenham mais oportunidades e ocupação de uma maneira prazerosa é o objetivo do projeto coordenado pelo Professor Breno de Castro Lima, em Manhuaçu
 
Há três anos, o professor ensina as técnicas de forma gratuita para crianças e adolescentes que estão em zona de risco. “O Jiu-Jitsu vem se destacando na atualidade de uma maneira benéfica onde crianças, jovens e adultos estão cada vez mais interagindo com essa modalidade esportiva, onde o mesmo traz uma contribuição global do aluno, formando cidadão, pessoa de caráter, respeito, educação, buscando um equilíbrio mental, moral, social e físico. Aprendendo assim, a se controlar, aprimorando seus reflexos, tendo um grande fortalecimento da alto confiança, aprendendo a se conhecer e explorar a criatividade do aluno, buscando o respeito aos companheiros e superiores e expondo seus benefícios e malefícios”, detalhou Breno.
 
O professor explicou ainda que o Jiu-Jitsu é considerado de inclusão social e atua na formação emocional, social, física, cognitiva e moral do homem ao exigir do praticante alto controle, respeito às regras e ao adversário, disciplina, responsabilidade nos treinamentos e uma vida regrada, longe de vícios e maus hábitos. 
(foto: Divulgação)
 
“Um fato interessante que ocorre com os praticantes do Jiu-Jitsu é que eles diminuem a agressividade no seu cotidiano, ao contrário do que muitas pessoas imaginam. O Jiu-Jitsu, também chamado de arte suave tem se mostrado um dos esportes mais eficientes na formação do caráter do homem. Principalmente porque atinge um público vindo das camadas mais carentes da sociedade”, acrescentou Breno.
 
Para continuar o trabalho feito com as crianças e adolescentes, o projeto necessita de ajuda financeira. Para entrar em contato, basta ligar para 33 8433-2962 e falar com o Breno.
 
Benefícios
 
O professor detalhou outras metas em trabalhar com a arte suave: Envolvê-los como grupo de aprendizagem esportiva, torneios e campeonatos, sempre com ênfase no acesso democrático, na descentralização das ações e no resgate da alegria de participar. Promover os campeonatos como forma de estimular a pratica de esportes entre os alunos, para demonstrar o que foi aprendido pelo aluno. Meditar sobre o bem estar controlando qualquer tipo de problema ou frustração. Mostrar para a criança que a força bruta (violência) não gera nada. Expor os benefícios da alimentação saudável para todos tanto atleta como amador. Contribuir para o desenvolvimento, formação da personalidade, construção da identidade, auto conhecimento e independência da criança e do adolescente pelos aspectos pertinentes à prática esportiva.  Reduzir a evasão escolar e o tempo de exposição da criança e do adolescente a situações de risco (violência, drogas, trabalho infantil), propiciando melhor aproveitamento do tempo disponível no contra turno escolar e combater a discriminação de habilidades, raça, gênero e cor.
 
Geilson Dangelo