Refém conta detalhes da ação dos criminosos e lamenta morte do tio



 

Tamanho da fonte    




O refém de 21 anos precisará de muito tempo para superar o trauma vivido na manhã desta segunda-feira, 10/07. Ele foi levado como refém pelo bando fortemente armado que roubou bancos, tendo inclusive que ajudá-los durante a ação, e acabou presenciando o seu tio, que era vigia no Banco do Brasil, ser baleado e morto, em Santa Margarida.
 
Ele falou com a reportagem do jornal O Tempo durante o velório do vigilante Leonardo José Mendes. Ele contou que estava trocando a placa de um caminhão quando os assaltantes chegaram e falaram para ele subir na caminhonete.
 
"Eu e um colega subimos na hora na carroceria e eles nos levaram primeiro para a agência da Sicoob. Eles chamaram o vigia, pegaram o dinheiro e pediram que eu segurasse o valor roubado. Em seguida fomos para o Banco do Brasil, onde chegaram quebrando as vidraças. Tive que ajudar, pois eles estavam me empurrando no vidro", relatou.
 
Jornal O Tempo