Saúde na Praça: ações preventivas são realizadas no centro de Manhuaçu



 

Tamanho da fonte    




Equipes dos ESFs, NASF e Secretaria Municipal de Saúde desenvolveram durante toda a tarde de quinta-feira, 14/09, o Projeto Saúde na Praça, que visa disponibilizar para a população ações preventivas e serviços voltados para o bem-estar e melhoria na qualidade de vida.
 
Nesta primeira etapa do projeto foi abordado o tema: “A saúde começa pela boca”. “Então, nesta quinta-feira foram oferecidos serviços de aferição de pressão, medição do IMC, ou seja, Índice de Massa Corporal, que mostra a relação peso/altura, para saber se a pessoa está dentro do padrão, circunferência abdominal, que através desta medida ficamos sabemos qual a probabilidade de uma pessoa ser cometida por uma doença coronária, glicemia, orientação quanto à alimentação e exercícios físicos”, explicou o profissional de educação física do NASF, Fernando Rocha de Jesus.
 
Ainda de acordo com o profissional, apresentando alguma alteração no resultado preliminar dos exames, a pessoa é encaminhada para um especialista. “Durante os serviços de aferição de pressão e glicemia, quando estes apresentam alterações consideráveis, a pessoa é encaminhada ao PSF do seu bairro, onde ele será atendido por um especialista”, completa.
 
Além dos serviços disponibilizados, orientações quanto a alimentação sadia também eram oferecida aos que estavam presente. A nutricionista Daniela Moreira apresentou um quadro sobre os alimentos industrializados e quantidade de açúcar em cada um. “Muitas vezes as pessoas se preocupam com uma alimentação mais saudável, mas é importante saber a quantidade de açúcar de cada alimento, pois às vezes uma combinação de alimentos pode elevar em muito a quantidade de açúcar no organismo”, explica a nutricionista.
 
De acordo com Daniela, o açúcar não está apenas nos alimentos doces e pode fazer bem e fornecer energia para o organismo, se consumido na medida certa. Mas o problema é que a maioria dos brasileiros consome mais açúcar do que o recomendado por dia. Esse excesso pode causar obesidade e, consequentemente, diabetes.
 
Para o endocrinologista, evitar a obesidade é a melhor maneira de prevenir o diabetes e, por isso, é importante evitar também o excesso do consumo de açúcar.
 
O aumento do tecido gorduroso ocasionado pelo excesso de peso, especialmente no abdômen, provoca a produção exagerada de substâncias que interferem na ação da insulina produzida pelo pâncreas, o que favorece o aparecimento da diabetes.  Além disso, estudos mostram que as pessoas que consomem muito açúcar têm uma dieta mais rica em gordura e isso também é fator de risco para o aparecimento dessas doenças. “O consumo recomendado de sacarose, ou seja, o açúcar refinado, cristal, mascavo ou light, é de, no máximo, 10% das calorias diárias. No entanto, os brasileiros consomem, em média, 14% dessas calorias, mais do que o recomendado”, alerta Daniela.
 
A próxima edição do “Saúde na Praça” acontece no dia 26 de setembro e terá como tema, a “Valorização da Vida”, com ações voltadas para o combate ao suicídio.
 
Tribuna do Leste













}