Saúde promove palestra sobre a febre chikungunya



 

Tamanho da fonte    




A Secretaria Municipal de Saúde de Manhuaçu (SMS), por meio da VigilânciaAmbiental e Atenção Primária à Saúde, promoveu, na noite desta segunda-feira,19, uma palestra sobre sinais e sintomas da febre chikungunya e dengue 2. A palestra foi direcionada aos médicos, enfermeiros e equipe da Vigilância Ambiental. O encontro aconteceu no auditório da Câmara e, buscou alertar sobre os principais sintomas das doenças, formas de tratamento e prevenção.
 
A palestra ministrada pelo médico infectologista, Dr. Tiago Pires Heringer serviu para despertar nos profissionais que atuam na Estratégia Saúde da Família (ESF), a necessidade de estarem atentando para o problema, que pode estar bem perto. Além disso, se faz necessário um trabalho contínuo de vigilância e conscientização às famílias no campo preventivo.
 
A dengue está numa constante evolução e, muitas pessoas ainda permanecem desprovidas, sem nenhuma preocupação para ajudar os órgãos de saúde para combater o vetor “Aedes”, que prolifera rapidamente e traz uma série de consequências à população. “A letalidade da dengue permanece por conta de diversas questões, inclusive falta de água, que leva ao armazenamento indevido, aliado a problemas de saneamento básico e ao acúmulo de lixo, entre outros”, explicou.
 
Em relação à febre chikungunya, já existem três casos da própria região, sendo acompanhados em Manhuaçu. O fato de estar bem próximo de Governador Valares que vive uma endemia, a doença já apresentou “a cara” por aqui. A doença é parecida com a dengue, com sintomas como febre e mal-estar, dores pelo corpo, dor de cabeça, apatia e cansaço.  Dr. Tiago Pires Heringer explica que, a grande diferença da febre chikungunya está no acometimento das articulações. O vírus avança sobre as juntas dos pacientes e causa inflamações, com fortes dores, acompanhadas de inchaço, vermelhidão e calor local. “Até o momento, os três casos são da própria região e, por isso a população precisa ter cuidados específicos evitando o acúmulo de lixo, água parada e faça higienização a fim de eliminar focos de criadouros, pois, a chikungunya é mais incapacitante”, ressaltou Dr. Tiago Heringer.
 
NOTIFICAÇÃO
 
A coordenadora da Vigilância Ambiental, Emilce Estanislau alerta para a importância da notificação imediata de casos suspeitos de dengue e febre Chikungunya. Ela destaca que o ambiente é favorável para a doença, que é grave e pode matar. A população tem um papel fundamental para auxiliar os órgãos de saúde, através do combate ao vetor, eliminando lugares que servem para a proliferação do mosquito Aedes. “Já temos casos notificados em nossa cidade e, isso nos deixa preocupados e em sinal de alerta de que não estamos imunes à doença. A população precisa colaborar com os profissionais da saúde, que estão se preparando para a chegada da doença ao nosso meio”, ressalta Emilce Estanislau. 
 
Um trabalho intenso será realizado por parte da Atenção Primária à Saúde, que está diariamente em contato com moradores dos diversos bairros, para serem aliados no combate ao Aedes. A coordenadora da Estratégia Saúde da Família e Atenção Primária à Saúde, Marizy Vasconcelos, relata que cada pessoa precisa participar no combate ao mosquito. “Nossos profissionais têm encontrado sinais de risco nas casas, por falta de cuidado dos moradores. A população tem de estar bem alerta, para evitar a febre Chikungunya e dengue 2”, detalha Marizy Vasconcelos.
 
Assessoria de Comunicação SMS













}