Três irmãs relatam abusos sexuais praticados pelo próprio pai



 

Tamanho da fonte    




Três irmãs que moram na zona rural de Vermelho Novo alegam terem sido vítimas de abuso sexual praticado pelo próprio pai durante anos. Uma delas decidiu procurar a polícia nessa quinta-feira, 26/04, para denunciar a violência.
 
Segundo a jovem, o pai sempre teve ciúme exagerado das filhas, chegando a proibi-las de sair de casa. Disse também que ele as ameaçava e as espancava constantemente. O pai aproveitava situações em que ficava a sós com uma das vítimas para praticar atos libidinosos, sempre coagindo com ameaça de morte, caso procurassem a polícia ou comentassem com alguém o que estava acontecendo.
 
A vítima deu detalhes do crime, dizendo que o autor sempre a levava para a lavoura de café, a obrigava a passar as mãos em suas partes íntimas e a praticar sexo oral, ejaculando em sua boca e obrigando-a a engolir o esperma. A jovem também contou que mudou para Belo Horizonte, porque não aguentava mais a situação. Em tom de alívio, conforme registrado no boletim de ocorrência, concluiu que hoje se livrou das investidas, ameaças e surras, mas sua irmã ainda continua morando com os pais. Mesmo tendo 19 anos, a irmã estaria sofrendo ameaças, assédio e violência sexual.
 
As outras irmãs
 
A polícia conversou com a irmã que ainda mora com a família em Vermelho Novo. Ela disse que o pai sempre a chama de “gostosa, peituda”, dizendo que ela é só dele. Disse ainda que quando a mãe sai de casa ele aproveita para dar suas investidas. Inclusive, nessa quinta-feira, enquanto a irmã saiu para pedir ajuda à polícia, ele passou as mãos em suas partes íntimas, introduziu seus dedos, ordenou que ela o beijasse e fizesse sexo oral, ameaçando agredi-la caso não obedecesse. Ao final, alertou que mataria ela e sua mãe, se fosse denunciado.
 
Esta mesma jovem contou outros episódios de abuso e a filha mais nova do casal também relatou violência física, psicológica e sexual por parte do pai. As histórias da caçula são parecidas com as das irmãs. Disse que se casou antes dos dezesseis anos para fugir dos constantes abusos.
 
A mãe das meninas afirmou à polícia que suspeitava do ciúme doentio e possessivo do marido em relação às filhas. Relatou que sempre sofreu ameaças e agressões e, por temer pela sua vida e das filhas, nunca procurou ajuda policial. Relatou também que o autor sempre disse que, se acionassem a polícia, ele as mataria assim que fosse solto.
 
O pai, de 58 anos, foi preso em flagrante devido ao crime que teria ocorrido nessa quinta, de acordo com relato da filha. A carta escrita por uma delas, descrevendo a vida de horror que tinha junto do pai, foi anexada ao boletim de ocorrência.
 
Rádio Cidade Caratinga













}