Vagas para deficientes e idosos continuam sendo invadidas



 

Tamanho da fonte    




Muitos tentam justificar que não tinham observado a placa indicativa de que o espaço para estacionar é preferencial para o deficiente e o idoso, que têm a vaga assegurada para estacionar. Esta cena é bastante comum na Praça Cordovil Pinto Coelho e Rua Dr. José Fernandes Rodrigues.
 
Quem passa pelo local pode observar a atitude de alguns motoristas, que estacionam seus veículos nas vagas preferenciais para pessoas com deficiências, idosos e gestantes. Retrata a falta de respeito, que atinge até mesmo o local que está devidamente sinalizado e com o símbolo na placa.
 
Geralmente, aqueles que gostam de um lugar mais visível para deixar seus carros não se preocupam com a possibilidade de uma pessoa com dificuldade para se locomover, possa usufruir de um lugar garantido por lei desde 2008. As resoluções 303 e 304/08 do Conselho Nacional de Trânsito (CONTRAM) regulamentam vagas para idosos e deficientes. Dessa forma, todas as cidades brasileiras são obrigadas a destinar 3% das vagas de estacionamento público para idosos e 2% para deficientes. Porém, grande parte dos condutores de veículos ainda desrespeita a legislação e estaciona nas vagas preferenciais.
 
Os motoristas que desrespeitam a lei e que deixam os beneficiados irritados agora estão sendo fiscalizados pela Polícia Militar, que tem se deparado com carros deixados no lugar garantido para o deficiente físico e o idoso.
 
Bem na esquina da rua a placa é bem visível, mas não suficiente para um motorista que teve o carro rebocado, depois que policiais iniciaram uma blitz educativa em frente à Caixa Econômica Federal.
 
Segundo o Sargento Ageu da Polícia Militar, vários motoristas já tiveram carros guinchados pelo fato de não observarem, ou simplesmente ignorarem uma norma vigente e uma conquista para as pessoas que têm dificuldade para se locomover.
 
A remoção do veículo chamou a atenção de quem passava pela rua e, ao mesmo tempo para despertar aqueles que são desavisados, e não têm o costume de observar o local onde estão estacionando o carro. O policial orienta que se faz necessário que o condutor portador de deficiência coloque colado no para-brisa o adesivo. O idoso também deve colocar sobre o painel a credencial. “No caso do motorista do carro apreendido, ele percebeu perfeitamente, pois, o local está bem sinalizado e compreende área central. Nesses locais, torna-se importante que o condutor observe bem, a fim de evitar as medidas administrativas”, explicou Sargento Ageu.
 
Eduardo Satil













}