Vereador aprova projeto que proíbe estiletes nas escolas



 

Tamanho da fonte    




Projeto de lei do vereador Gilson César da Costa (Gilsinho) que proíbe uso de instrumentos cortantes para alunos nas escolas municipais foi aprovado pela Câmara Municipal, na quinta-feira, dia 23. A proibição é válida nas dependências dos estabelecimentos de ensino da rede municipal.
 
A proposta do vereador é justamente para definir que instrumentos cortantes e outros materiais que podem ser utilizados como armas por estudantes sejam banidos das escolas. “Não é apenas o estilete, usado para apontar lápis, estendemos a legislação a todo objeto cortante, como tesoura sem ponta arredondada, líquidos corrosivos e outros que forem criados. O objetivo nosso é que esses materiais não estejam presentes nas escolas e agora temos uma lei municipal estabelecendo a proibição e como agir”, declara.
 
Gilson César conta que a população tem conhecimento de brigas dentro e na saída das escolas e quer evitar os estiletes e afins levados para a aula. “Estabelecemos uma regra clara para os estudantes e professores. Acredito que precisamos avançar nesse sentido, mas continuar investindo na prevenção, na orientação dos estudantes, como já tem sido feito pelos educadores”, ressaltou.
 
O projeto de lei municipal foi aprovado por unanimidade na Câmara de Manhuaçu e teve sua autoria subscrita ainda pelos vereadorAponísia dos Reis e Francisco de Assis Dutra.
 
Assessoria de Comunicação













}