Vereador denuncia transtorno vivenciado por família em funeral



 

Tamanho da fonte    




Vereador Jorge Augusto Pereira (Jorge do Ibéria) denunciou o recente transtorno sofrido por família que precisou sepultar ente falecido em um Domingo

Os parentes foram surpreendidos pelo posicionamento do coveiro, que se recusou a proceder com os trabalhos, alegando não receber horas extras da Prefeitura para tal finalidade. “Estava em casa no Domingo passado, quando a filha de uma pessoa que havia morrido me ligou, dizendo que durante o sepultamento da mãe, marcado para as 16h, os coveiros presentes ao cemitério teriam se recusado a proceder com o serviço, porque a Prefeitura não paga as horas extras, tendo inclusive horas acumuladas para receber da Administração. Visando uma solução para aquela família, em razão desta situação delicada, liguei para dois companheiros em Vilanova e pedi aos mesmos que viessem abrir as sepulturas. Trouxe almoço e acertei com eles. Nem considero que paguei a este serviço, ainda mais no Domingo, mas dei uma gorjeta e eles ficaram satisfeitos, demonstrando satisfação em ajudar. O que pedimos é que isto não ocorra de novo. É vergonhoso para o nosso município, a pessoa precisar recorrer a um vereador para conseguir uma sepultura. Onde está a Administração de Manhuaçu? Quem é o responsável pelo cemitério? Aqui em Manhuaçu, parece que não tem. Não se sabe quem manda e quem não manda. A verdade é esta. Vamos convocar as pessoas responsáveis para que possam vir aqui dar explicações. Tivemos informação de que não é a primeira vez que isto acontece e os vereadores não podem aceitar esta situação. Estamos aqui para representar o povo”, cobrou Jorge do Ibéria.  

O Vice-presidente Anízio Gonçalves de Souza comentou que teve conhecimento da situação e que na ocasião pediu providências à Maria Lúcia Machado, na Administração Municipal, e que, dela, teria tomado ciência de que providências teriam sido tomadas para este funeral.

O Vereador Hélio Ferreira indagou sobre qual a função da Lúcia Machado e propôs requerimento à Prefeitura para saber sobre esta função. Os Vereadores Juninho Linhares e Fernando Lacerdaapoiaram o colega Hélio Ferreira e solicitaram também informações sobre a função, cargo e remuneração da referida servidora e também de um cidadão conhecido como Batista Gomes, no mesmo contexto.

Suposta perseguição a servidores

Fernando Lacerda evidenciou a necessidade de apuração quanto a suposta existência de perseguição da Administração Municipal a servidores públicos. O Vereador relatou que, recentemente, viu publicado em jornal lista de processos administrativos da Prefeitura instaurados contra funcionários e se assustou com a quantidade. “Se todos estes funcionários cometeram atos que justifiquem a instauração destes processos, então tudo bem, esperamos que a Lei se faça cumprir e eles respondam por seus erros. Mas, o que queremos saber é se não está havendo injustiça, com a perseguição de determinados funcionários”, esclareceu.
(foto: Assessoria de Comunicação)

Fernando solicitou da presidência o encaminhamento de pequerimento à prefeitura solicitando cópias dos referidos processos.

Assessoria de Comunicação